Conecte-se connosco

Câmaras

PS diz que Câmara de Coimbra usa festas da cidade para fazer a pré-campanha de PSD e CDS

Publicado

em

Partido Socialista acusa Câmara Municipal de Coimbra  de  usar as Festas da Cidade  para fazer a pré-campanha de PSD e CDS.

A vergonha saiu à rua em tempos de crise!” É desta forma que o PS qualifica a atribuição de 340 mil euros pela Câmara e pela Junta de Santa Clara às festas da cidade. “Uma irresponsabilidade”, atendendo à situação financeira da autarquia, é uma das acusações escrita no comunicado da concelhia socialista.

O Secretariado da Comissão Política Concelhia do PS de Coimbra denuncia o uso “exagerado” e “abusivo” de verbas do erário municipal para as festas da cidade como a forma da gestão PSD/CDS, liderada por João Paulo Barbosa de Melo, fazer a pré-campanha eleitoral dos dois partidos no concelho.

Em causa estão os 240 mil euros que a Câmara irá gastar nos festejos, aos quais se somam os 100 mil que a Junta de Freguesia de Santa Clara irá canalizar para o mesmo fim.

 “É um escândalo, sob qualquer ponto de vista”, afirma Carlos Cidade, o presidente da Concelhia socialista. “Em primeiro lugar, este não é um ano par e, não havendo procissão, os custos fixos das celebrações baixam drasticamente – mesmo assim, a Câmara irá gastar uma das maiores verbas dos últimos anos”, refere o dirigente partidário. “Em segundo lugar, a autarquia está com gravíssimos problemas financeiros, entre os quais se contam 20 milhões de euros de dívidas de curto prazo e a dificuldade em assegurar os serviços públicos essenciais: gastar quase 350 mil euros em festas nesta altura é, antes de mais, uma irresponsabilidade!”

Para o PS o que está em causa é, pura e simplesmente, uma manobra para fazer a pré-campanha eleitoral do PSD e do CDS à custa do erário municipal. “É um uso dos dinheiros públicos exagerado e abusivo”, acusa Carlos Cidade. “Na luta desesperada dos partidos de direita por manterem a Câmara de Coimbra, a vergonha saiu à rua em tempos de crise”.

Na reunião em que debateu a denúncia deste comportamento, o Secretariado da Comissão Política Concelhia do PS de Coimbra entendeu que “não há coincidências” e que o comportamento de João Paulo Barbosa de Melo se deve apenas ao facto de se estar em vésperas de eleições Autárquicas. “Com comportamentos que já se pensavam ultrapassados, o Município de Coimbra e o seu executivo PSD/CDS deram início à campanha eleitoral, mas ao contrário das subvenções estatais para esse efeito, preparam-se para usar 340.000 euros do orçamento municipal a benefício da sua pré-campanha para as autárquicas”, acusa o PS.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link