Conecte-se connosco

Coimbra

Ecovia transporta “meio passageiro por dia” (com vídeo)

Publicado

em

A Ecovia continua com uma procura muito abaixo da expetável. Neste momento, os autocarros circulam na cidade de Coimbra praticamente vazios, uma realidade que preocupa a Câmara que vai avançar, já a partir de janeiro, com novas medidas para dinamizar o serviço.

Apesar das soluções atrativas que este conceito Park&Ride apresenta, aliando estacionamento e transporte, em horários variados, parece não ter ainda conquistado os automobilistas.

O Notícias de Coimbra acompanhou, esta terça-feira, uma das viagens na Linha Vermelha, que faz a ligação entre a Casa do Sal, na entrada da cidade, e a zona dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) e, neste percurso, apenas entrou no autocarro um utilizador. A viagem foi rápida, durou menos de 20 minutos, e passou próximo de unidades de saúde de grande afluência, como acontece com o Hospital Pediátrico, o Instituto Português de Oncologia e os HUC.

No caso da Linha Verde, que faz a ligação entre o Parque Verde e a Universidade de Coimbra, não foi possível acompanhar o circuito, uma vez que este percurso atravessa o Jardim Botânico. Mas, logo depois da saída do veículo na zona do parque, na paragem seguinte, foi possível assistir à entrada de duas jovens.

Esta linha atravessa este emblemático jardim da Universidade de Coimbra e um dos desejos do reitor, Amílcar Falcão, é que se possa estender, no futuro, ao Polo II da UC e não fique apenas no Parque Verde, fazendo a ligação entre estes dois polos da Universidade, como referiu esta segunda-feira, durante a inauguração da exposição que assinala os 250 anos deste jardim.

O facto da Ecovia continuar a ser conhecida como a “Ecovazia”, como referiu o presidente da Câmara, José Manuel Silva, na reunião do executivo de 28 de novembro, vai conduzir a alterações no funcionamento do serviço já a partir de janeiro. Assim, com o intuito de o tornar mais atrativo, vai abrir-se a outros utilizadores dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) e vai permitir a aquisição do bilhete a bordo, para situações pontuais. No caso da Linha Vermelha, o circuito vai estender-se à Rua do Padrão, de forma a aproximar o serviço das pessoas que se deslocam para a cidade de comboio.

A vereadora Ana Bastos, responsável pelo pelouro dos Transportes e presidente dos SMTUC, recordou, na referida reunião do executivo de 28 de novembro, que o serviço da Ecovia foi relançado a 1 de junho de 2021 para aliviar a pressão automóvel na cidade mas, lamentavelmente, continua com “níveis de procura abaixo do desejável”.

Lembrou os dados divulgados a 10 de janeiro, que davam conta que nas três linhas então disponíveis – Vermelha, Verde e Roxa (com partida do Vale das Flores e passagem pelo Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra) – eram transportados em média “três passageiros por dia e por linha, com um máximo de cinco por linha e por dia”. No total, segundo referiu, “faziam-se 80 viagens para transportar nove a 15 pessoas por dia”.

Estes dados levaram, inclusive, à extinção da linha Roxa. Neste momento, estão apenas a funcionar duas – a Vermelha e a Verde –, uma vez que a linha Amarela, inicialmente prevista para fazer a ligação entre a Casa do Sal e a Universidade, nunca chegou a arrancar.

Ana Bastos referiu que, desde então, houve melhorias na procura mas, mesmo assim, esta “continua muito abaixo do desejável”. De acordo com os dados divulgados, contabilizam-se mensalmente cerca de 450 carregamentos da rede geral+/entidade, resultantes dos protocolos estabelecidos com cinco entidades/instituições, que garante o acesso ao sistema por 20 euros mensais.

“Este ano, até ao final de setembro, registaram-se 30.125 validações, ou seja, cerca de 15% do que seria expectável se todos os subscritores validassem o título duas vezes por dia”, referiu, explicando que estes dados permitem concluir que “parte destes títulos passou a ser adquirido para dar acesso aos parques de estacionamento por um preço módico ou por utilizadores que antes faziam uso do passe da rede geral por 30 euros”.

Quanto aos passes, desde que o serviço foi retomado em junho de 2021 foram emitidos apenas oito passes rede geral+, no valor de 35 euros por mês, mantendo-se apenas um, atualmente, com carregamentos regulares. A vereadora lembrou que este título foi criado especificamente para o serviço Ecovia, registando este ano “213 validações, o que corresponde a 0,5 passageiros por dia”.

Já os títulos ocasionais registam 2000 validações, sendo que 94% são relativas ao título de duas deslocações mais estacionamento.

O serviço Ecovia aposta num conceito Park&Ride, que junta o estacionamento e o transporte, procurando assumir-se como uma alternativa viável ao transporte particular, ao potenciar comportamentos e hábitos mais conscientes e ecológicos dos residentes mas também dos visitantes.

A partir de janeiro, entram então em vigor alterações no serviço, como já noticiou o Notícias de Coimbra, assim como também já deu conta da pouca utilização do serviço.

Veja o vídeo do direto NDC:

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com