Conecte-se connosco

Carteira

Portugueses podem poupar 180 litros de água por dia através de redutores de caudal

Publicado

em

A DECO PROTESTE, organização de defesa do consumidor, testou várias soluções que permitem reduzir o consumo de água por parte dos consumidores, durante todo o ano, contribuindo também para combater a seca severa que se faz sentir em várias zonas do País. Em junho de 2022, 68% do território nacional estava em seca severa e 28% estava em seca extrema. Apenas 4% estava em seca moderada. Face a estes dados, a organização de defesa do consumidor alerta que poupança de água torna-se num imperativo durante todo o ano.

De acordo com um cenário traçado pela DECO PROTESTE, um português que já tenha alguns cuidados no consumo de água, mas que tenha dispositivos standard que não reduzam o caudal, pode gastar 280 litros de água por dia. Para este cenário considerou-se, por exemplo, um banho diário de 5 minutos, descargas de autoclismo completas (sem opção de dupla descarga) e lavar a loiça à mão durante 10 minutos por dia.  Mesmo sem alterar comportamentos, o consumo de água pode ser drasticamente diminuído através da instalação de mecanismos de poupança de água, como redutores de caudal, uma solução que pode aliviar a situação crítica que se vive em Portugal. 

Feitas as contas, a DECO PROTESTE revela que a instalação de certos mecanismos, considerando o cenário traçado, pode levar a uma diminuição do consumo de água na ordem dos 180 litros por dia, o que equivale a 36 garrafões de água de cinco litros. Considerando-se uma família de três pessoas, a poupança anual poderia chegar aos 135 mil litros de água. 

Elsa Agante, Especialista em Sustentabilidade da DECO PROTESTE refere que a “situação no País é crítica, pelo que é nosso dever aconselhar cada consumidor a tornar-se num guardião ativo deste recurso escasso e vital. Cada consumidor deve aliar um comportamento responsável no uso de água com a utilização de equipamentos que permitem reduzir a quantidade de água que dai da torneira, sem que exista perda de conforto, necessitando apenas de realizar pequenos investimentos em cabeças de chuveiros, redutores de caudal ou num sistema de dupla descarga no autoclismo. Para que a escolha seja mais simples, testámos várias possibilidades que podem ajudar os portugueses no momento da sua tomada de decisão.” Elsa Agante explica que “o investimento nesta transformação é relativamente acessível – 63,57 euros – para uma poupança anual que pode variar de acordo com a tarifa de água aplicada na zona do País onde se vive.”

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade