Cidade

Manuel Machado aproveita simulacro para dizer que vai comprar terrenos para infraestrutura aeroportuária

Notícias de Coimbra | 5 anos atrás em 06-07-2019

Era para ser segredo, mas não foi, por alguém (a quem agradecemos) avisou o Notícias de Coimbra que estava a decorrer um simulacro no Aeródromo Bissaya Barreto, que, como se sabe, está encerrado por falta de condições básicas.

PUBLICIDADE

Embora tivessem ficado surpreendidos com a nossa presença, os responsáveis pelo evento tiveram a gentileza de informar que estavam a testar o plano de emergência interno do Aeródromo Municipal.

O “filme” teve como protagonista um avião ligeiro, em voo privado, com problemas no motor, que se incendiou ao aterrar de emergência no aeródromo de Coimbra.

PUBLICIDADE

No “cenário” estaria uma aeronave, que não esteve, que transportaria 4 pessoas, que teriam ficado feridas, na sequência da aterragem de emergência, que não aconteceu.

Veja o vídeo do Direto NDC:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

 

Carlos Luís Tavares referiu que “a resposta foi muito positiva” e que os bombeiros Sapadores e Voluntários estão bem muito bem preparados.

Os Sapadores têm uma viatura muito bem equipada para este tipo de ocorrências, acrescentou o Comandante Distrital de Operações de Socorro de Coimbra.

Jorge Alves adiantou que o treino operacional correu bem, concluindo que o simulacro foi bem feito.

Questionado sobre a data de reabertura do aeródromo, o vereador que tem a seu cargo a proteção civil, não quis avançar com datas, mas anunciou que a Autoridade Nacional de Aviação Civil gostou do que viu.

Veja o vídeo do Direto NDC:

Depois dos operacionais feito o ponto da situação, apareceram o presidente e o vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra.

Manuel Machado aproveitou o momento para anunciar que continua a desenvolver esforços para “valorizar” a infraestrutura e que está a tentar comprar terrenos que permitirão o prolongamento da pista e da envolvente.

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra manifestou o desejo de requalificar o edifício do aeródromo.

Apesar da “manga de vento” (comprada em Inglaterra) já estar a funcionar, Manuel Machado não quis avançar com uma data de reabertura do aeródromo atacado javalis.

O simulacro contou com a presença de pessoas e meios dos bombeiros Sapadores de Coimbra, Voluntários de Coimbra, Voluntários de Brasfemes, GNR e Cruz Vermelha.

Recordamos que Manuel Machado disse no último Dia da Cidade que o município não desistiu do “sonho” de construir uma infraestrutura aeroportuária que sirva a região Centro.

“Continuamos a trabalhar, com rigor, para a criação de um aeroporto que sirva a região, criando uma alternativa de qualidade à oferta hoje existente e insuficiente no resto do país”, frisou o autarca, na cerimónia solene de 4 de julho, a propósito da promessa eleitoral efetuada em 2017.

Um ano depois de Manuel Machado ter dito que ia construir o aeroporto internacional, Manuel Queiró, a quem o município encomendou estudos sobre esta temática, chumbou o aeroporto no aeródromo de Coimbra e inventou que a localização ideal do aeroporto internacional seria no Nó de Soure.

Ontem, ao ser questionado por Notícias de Coimbra, edil não indicou a data em apresentará os estudos encomendados a Manuel Queiró, que, recorde-se deviam ter sido divulgados em 2018.

Apesar disto,  Manuel Machado diz que é “Um sonho do qual não desistimos, pois apesar de todas críticas – que respeitamos, mas que consideramos que só prejudicam Coimbra – entendemos que este é um projeto fundamental para o desenvolvimento harmonioso da cidade e do país nas próximas décadas”.

 

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE