Conecte-se connosco

Região

Emílio Torrão afirma: “Descarregaram nas autarquias, como na descentralização” (com vídeo)

Publicado

em

“Não vale apena descarregar as culpas nos bombeiros e autarcas, que sempre fizeram o que podem”, disse hoje o presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) Região de Coimbra, Emílio Torrão, ao recordar os incêndios de Pedrógão Grande e o julgamento a decorrer. Emílio Torrão falava na apresentação da 18ª torre de videovigilância contra incêndios, na Figueira da Foz. 

“Temos uma intervenção do Governo que não tínhamos. Até aos incêndios de Pedrógão Grande era um bocado fatalista, com meios para apagar os fogos, mas sem trabalho a montante”, disse o autarca, que preside também ao município de Montemor-o-Velho.

Segundo Emílio Torrão, que teme um verão complicado, “antes [dos incêndios] de Pedrógão não existia rigorosamente nada do ponto de vista da prevenção e do trabalho de fundo feito pelo Governo”, e, depois, “há todo um trabalho feito”.

“Descarregaram nas autarquias, como na descentralização”, ironizou o dirigente, na Figueira da Foz, à margem da visita à 18.ª torre de videovigilância do projeto Sistema Integrado de Videovigilância para a Prevenção de Incêndios Florestais da CIM Região de Coimbra.

“Este é um verdadeiro projeto intermunicipal, que só foi possível porque existiu Pedrógão Grande”, realçou Emílio Torrão, salientando que, atualmente, existe um conjunto de situações que é possível implementar no terreno porque “houve medidas corajosas tomadas na altura, que não existiam antes”.

No entanto, o presidente da CIM Região de Coimbra mostrou-se “triste” com as críticas que são feitas, por vezes, a bombeiros e autarcas, sem que as pessoas percebam que “há um antes e um depois de Pedrógão Grande”.

Aos jornalistas, Emílio Torrão disse ainda que é preciso resolver a crise do recrutamento de bombeiros, com a atribuição de “condições para que possam ter interesse no voluntariado, ou então tomar outras opções”.

“É preciso perceber que as pessoas arriscam a sua vida”, sublinhou, defendendo que é necessário dar condições e benefícios aos voluntários e também “respeitá-los”.

Leia também: Videovigilância contra incêndios vai cobrir 90% do território da Região de Coimbra (com vídeos) – Notícias de Coimbra (noticiasdecoimbra.pt)

Veja o vídeo:

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade