Conecte-se connosco

Tribunais

Coimbra: Traficante de 18 anos condenado pela quarta vez

Publicado

em

O Tribunal de Coimbra condenou um rapaz, de 18 anos, a cinco anos e meio de prisão por tráfico de droga na Baixa da cidade. O jovem já tinha sido condenado três vezes pelos mesmos crimes.  A namorada e um outro indivíduo, que também estavam acusados de tráfico de estupefacientes, viram as penas serem suspensas. 

“Não tenho nada a dizer. É a quarta condenação. Não há quartas oportunidades”, disse a presidente do coletivo de juízes na leitura do acórdão. “Vocês têm 18 anos. Sabem o vosso destino. Ainda são jovens e têm tempo de aprender alguma coisa na vida”, acrescentou.

O trio, composto por um casal com 18 anos e um outro elemento com 19, respondeu em tribunal pelos crimes de tráfico de cocaína e heroína na Baixa de Coimbra e artérias circundantes. O mais velho estava ainda acusado de detenção de arma proibida, já que lhe foi apreendido um bastão extensível.

A rapariga, antes de ser presa preventivamente, foi detida na posse de 732 doses de cocaína e posteriormente libertada. Foi novamente apanhada com o mesmo comportamento e agora julgada, tendo o tribunal decidido condená-la a 4 anos e meio de cadeia, uma pena suspensa por um período de 5 anos mediante regime de prova, nomeadamente a “aquisição de competências e o afastamento do consumo de estupefacientes”.

“A senhora fica em liberdade hoje”, disse-lhe a presidente do coletivo. Ao ouvir isto a rapariga começou a chorar com tal intensidade que levou a juíza a perguntar-lhe se não queria sair da cadeia. A jovem tentou ilibar o namorado, agora condenado a prisão efetiva, durante o julgamento, dizendo que só ela vendia droga. “Ele estava ao meu lado, mas era eu que fazia tudo”, afirmou perante o coletivo. O casal vivia numa pensão da Baixa de Coimbra onde desenvolvia a sua atividade ilícita. “Estou arrependida do que fiz, fui para a cadeia e vi que não era vida para mim”, referiu.

O rapaz mais velho foi condenado a uma pena de três anos e dois meses, suspensa por um período de cinco anos. “Não há segundas oportunidades”, sublinhou a magistrada. “Vejam o que aconteceu ao vosso colega que vai cinco anos e meio para a prisão”, alertou.

Os três jovens, naturais de Coimbra, foram detidos pela PSP em janeiro deste ano. Na altura a Polícia apreendeu 80 doses individuais de cocaína, 29 doses de heroína, três doses de haxixe, “uma avultada quantia em dinheiro proveniente da prática do crime de tráfico e estupefacientes” e um bastão extensível.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link