Carteira

CGTP garante que luta não vai parar até salários e pensões subirem

Notícias de Coimbra | 1 ano atrás em 18-03-2023

A secretária-geral da CGTP-IN, Isabel Camarinha, garantiu hoje que a luta não vai parar até os salários e as pensões subirem, perante o que estimou serem mais de 100 mil manifestantes que se juntaram no centro de Lisboa.

PUBLICIDADE

Isabel Camarinha falava no fim da manifestação nacional convocada para hoje pela intersindical, que desceu a Avenida da Liberdade e terminou nos Restauradores, prometendo mais ações pelas reivindicações.

“Esta luta que aumenta não vai parar enquanto não tivermos garantidos o aumento dos salários e das pensões e as nossas reivindicações”, assegurou, acrescentando que a “construção” de “um novo tempo” exige “a intensificação da luta”.

PUBLICIDADE

A secretária-geral da CGTP argumentou que “os problemas, necessidades e anseios dos trabalhadores não podem ficar à espera”, defendendo “respostas e soluções no imediato”.

Perante o que estimou serem “mais de 100 mil trabalhadores” presentes na manifestação, criticou o Governo pela resposta perante o aumento do custo de vida, acusando-o de escudar-se “no estudo da compreensão de preço”.

PUBLICIDADE

“Parece que querem fazer de nós parvos, e certamente haverá quem se preste a elaborar um belo estudo que confirme que tudo vai bem e que isto é mesmo assim… toda uma nova versão do ‘país aguenta, aguenta mais austeridade’, que já derrotámos antes e que vamos voltar a derrotar”, disse.

Para a sindicalista, têm sido dadas “mil desculpas para justificar o injustificável”, apontando “falta de respostas” na saúde, na educação, na proteção social ou na habitação”.

“Exigimos o aumento geral dos salários, um aumento real, que vá além da inflação que reponha e reforce o poder de compra, que nos permita viver”, realçou.

Além de aumento dos salários, em pelo menos, 10% e não inferior a 100 euros para todos os trabalhadores, defendeu a valorização das carreiras e profissões, a fixação de 850 euros para o Salário Mínimo Nacional (SMN) ou o aumento de todas as pensões e reformas.

Neste sentido, destacou as próximas manifestações em Lisboa e no Porto, no dia 28 de março, dos “jovens trabalhadores”, bem como a participação no 25 de abril e no 1º de maio.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE