Conecte-se connosco

Carteira

Airbnb: Casas pequenas, cabanas, celeiros… alojamento único em Portugal ganha 4.800€ por ano!

Publicado

em

Após dois anos de restrições, muitos portugueses estão agora prontos para as suas férias de agosto. Para além dos destinos tradicionais de sol e praia, cada vez mais viajantes optam por alojamentos únicos, tais como casas pequenas, casas na árvore, cabanas, celeiros ou castelos, frequentemente localizados em zonas rurais para aproveitar ao máximo as suas férias recentemente recuperadas, anunciou hoje o Airbnb em comunicado enviado a Notícias de Coimbra,

“Os espaços únicos na Airbnb têm sido um sucesso junto dos hóspedes há mais de uma década. Mas hoje, novos dados da plataforma revelam o quão populares são estes lugares extraordinários na Airbnb em todo o mundo. Nos últimos dois anos, de 2019 a 2021, as noites reservadas neste tipo de alojamento aumentaram quase 50% a nível global.”

Através das Categorias de Airbnb, lançadas em maio, é agora mais fácil para os viajantes descobrir alojamentos únicos que não sabiam que existiam. Desde o seu lançamento, a categoria “Meu Deus!” (também conhecida como “OMG!”), que apresenta as casas mais originais da plataforma, recebeu mais de 2,5 milhões de cliques, o que a torna a categoria mais visitada.

De acordo com Airbnb, estes novos dados mostram também que as preferências dos portugueses ao planearem as suas férias são procurar lugares que combinem uma localização excelente com uma arquitetura única ou espaços diferentes e extraordinários. Um olhar atento às acomodações únicas é suficiente para compreender porque é que este tipo de espaços se tornou no favorito dos viajantes.

Os 10 destinos portugueses tendência para alojamentos únicos este verão:

  • Silves

  • Vila Real de Santo António

  • Braga

  • Setúbal

  • Porto

  • Santiago do Cacém

  • Olhão

  • Coimbra

  • Portimão

  • Porto Santo

“Com cada vez mais hóspedes a reservar estadias únicas, os anfitriões também ganham mais rendimentos – um anfitrião típico de um alojamento único em Portugal ganhou cerca de 4.800 euros em 2021, mais do que as receitas habituais de 4.100 euros obtidas pelos anfitriões de espaços regulares”, afiança o Airbnb.

Apesar de as casas na árvore e de os celeiros abundarem na Airbnb – e estarem entre os 10 tipos de alojamentos únicos mais reservados do mundo – são as casas pequenas que lideram o ranking em Portugal.

Segundo esta organização, este apetite por reservar estadias inesquecíveis em destinos e espaços incríveis coincide no tempo com um panorama económico desafiante. O que torna este verão diferente dos anteriores à pandemia é que os viajantes enfrentam restrições orçamentais no meio de uma inflação em alta. Alguns portugueses estão a compensar o seu enorme apetite por viagens, tornando-se anfitriões na Airbnb e ganhando dinheiro para financiar as suas escapadinhas de verão.

Em Portugal, um grupo crescente de hóspedes está também a recorrer ao alojamento e a partilhar a sua habitação principal enquanto viaja. De acordo com um inquérito recente realizado entre os seus anfitriões, 54% dos anfitriões em Portugal que afirmaram ter alugado a sua primeira habitação disseram tê-lo feito durante as suas férias.

No verão passado, em Portugal, quase um em cada dez anfitriões na Airbnb foram também hóspedes na plataforma, tendo ganho coletivamente mais de 16 milhões de euros entre 1 de junho e 31 de agosto de 2021 – com o típico anfitrião-hóspede a ganhar mais de 4.100 euros nesse período de tempo.

Os interessados em juntar-se à comunidade de anfitriões na Airbnb e começar a acolher ainda estão a tempo: os anúncios que foram ativados e reservados no primeiro trimestre de 2022 estão a receber reservas mais rapidamente do que há um ano. Além disso, estes potenciais anfitriões podem saber quanto poderiam ganhar ao partilhar o seu espaço na Airbnb graças à  ferramenta What’s My Place Worth.  A ferramenta interativa calcula um lucro estimado com base na localização, tipo de alojamento, e também utiliza dados de reservas anteriores na Airbnb. Pa 

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade