Conecte-se connosco

Coimbra

3 dias e 3 noites que abalaram a candidatura de Manuel Machado

Publicado

em

No dia 9 de agosto, Notícias em Coimbra avançou em exclusivo que o Juízo Local Cível do Tribunal de Coimbra emitiu um despacho onde se pode ler que Odete Isabel, mandatária da Lista do Partido Socialista, não se encontrava recenseada no círculo eleitoral de Coimbra, o que obrigou a candidatura a avançar com um plano que já pode ser considerado o novo milagre das rosas.

Recordamos que o Juiz notificou a mandatária de Manuel Machado para suprir a irregularidade processual, procedendo designadamente, à substituição da mandatária, com junção de novas declarações de concordância subscritas por todos os candidatos, o que poderia obrigar o Partido Socialista a voltar a recolher as assinaturas dos seus 453 candidatos.

Embora os socialistas tenham dito que Odetel Isabel tem residência, na Rua de Aveiro,  em Coimbra, o NDC verificou que no Bilhete de Identidade da ex-farmacêutica consta que reside na extinta freguesia de Santa Cruz (atual União das Freguesias de Coimbra) e que nasceu na freguesia de Covões, no vizinho concelho de Cantanhede.

Em resposta ao tribunal, o Partido Socialista ainda invocou que a cidadã tem morada fiscal na União das Freguesias de Coimbra, mas esse argumento não satisfez o juiz, que voltou a não “valorizar” a justificação socialista.

Por essa altura, a meio da semana, já se falava que “podiam rolar cabeças entre a 8 de Maio e a Oliveira Matos”, mas, por “entre berros e  bocas”, alguém se lembrou, qual salvador da pátria, de pegar na idosa de 81 anos e ir até Lisboa, onde em 24 horas podia ter acesso a um cartão de cidadão… com morada de Coimbra.

Se bem o pensaram, mal o fizeram, pois, apesar de terem obtido o novo documento, mais uma vez, deram mostras que não conhecem a legislação em vigor, já que “o recenseamento se encontra suspenso desde o 60.º dia anterior à eleição e até ao dia da eleição. Nesse período não podem ser efetuadas novas inscrições ou transferências”, o que motivou a nova recusa da justiça.

Na sequência desta nova “nega”, o Partido Socialista (num processo que envolveu a Distrital e Concelhia) foi obrigado a encontrar novo mandatário e a fazer o “milagre” de voltar a recolher as assinaturas dos seus “453 candidatos” à Câmara Municipal, Assembleia e 18 freguesias de Coimbra.

Encontrar novo mandatário não foi complicado, bastou recorrer à prata da casa, tendo a escolha recaído no médico João Paulo Almeida e Sousa, ex-líder concelhio e antigo presidente do Instituto Portugues do Sangue e da Transplantação.

Angariar as assinaturas dos 453 candidatos, em plena época estival, é que não foi tão fácil! “Conta quem sabe e quem sabe é quem viu”, que o pelotão comandado por Carlos Cidade andou, literalmente, aos papéis, durante “3 dias e 3 noites”,  sem pregar olho! Não se sabe se encontraram todos os candidatos, mas já podem dormir descansados. O Tribunal validou “as novas candidaturas” do Partido Socialista.

Um conhecido e reconhecido militante socialista resumiu de forma humorada toda esta epopeia da candidatura Valorizar Coimbra, fazendo recordar um anúncio protagonizado por um corredor de automóveis e concluindo que “o aparelho da candidatura pode nao ter mãos para a conduzir… mas tem pernas para andar e pedalar entre os Jogos Olímpicos e a Volta a Portugal”. 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade