Conecte-se connosco

Coimbra

Vila Nova de Poiares aprova contas de 2020 sem dívidas a fornecedores

Publicado

em

O município de Vila Nova de Poiares, no distrito de Coimbra, obteve um saldo de gerência de um milhão de euros nas contas de 2020, que terminou sem dívidas a fornecedores, foi hoje anunciado.

“Os resultados apresentados demonstram uma clara estabilização do processo de gestão ao longo dos últimos sete anos, comprovativo do rigor com que são geridos os recursos existentes e transmitindo para todos os parceiros e para a população em geral uma imagem de confiança e credibilidade”, salientou o presidente da Câmara.

Em comunicado, a autarquia liderada por João Miguel Henriques (PS) realçou “a redução do excesso de endividamento em menos 13% face a 2019, e a redução da dívida total em mais de 6,5 milhões de euros face ao valor encontrado em 2013”.

Para o presidente da Câmara, estes números representam uma redução da dívida ao ritmo de mais de um milhão de euros por ano, “o que significa mais de 10% da nossa capacidade orçamental”.

“É um enorme esforço que fazemos na nossa gestão, que demonstra o nosso compromisso com uma gestão equilibrada e de contas sérias”, referiu João Miguel Henriques.

Segundo o autarca, o combate à pandemia da covid-19, que absorveu em 2020 mais de 350 mil euros em ações diretas e prescindiu de cerca de 60 mil euros de receita em isenções, não afetou o compromisso com a diminuição da dívida e o esforço na redução do endividamento.

Na apresentação das Contas de 2020, João Miguel Henriques destacou também “a elevada taxa global de execução (de 85,82%), que demonstra bem o rigor e a fiabilidade do orçamento que apresentámos”.

“Trata-se de um documento na sequência do que tem vindo a ser apresentado nos últimos anos, evidenciando uma clara normalização do processo de gestão, com resultados estáveis, num enorme respeito pelo rigor e pela transparência com que se utilizam fundos públicos municipais”, sublinhou o presidente do município.

A ausência de dívidas a fornecedores e a redução do prazo médio de pagamentos para 15 dias foram também realçados pelo autarca, que considerou serem “uma excelente carta de recomendação’ do município para as nossas empresas e fornecedores”.

As contas foram aprovadas por maioria, com a abstenção do único vereador do PSD.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade