Coimbra

Vandalismo na noite de Natal deixa população de Ribeira de Frades e Taveiro triste e indignada (com vídeos)

Zilda Monteiro | 1 ano atrás em 26-12-2022

Tristeza e muita indignação são os sentimentos que predominam, esta segunda-feira, em Ribeira de Frades e Taveiro, duas das localidades do concelho de Coimbra que foram alvo, na noite da Consoada, de um ato de vandalismo que deixou cerca de uma centena de viaturas danificadas.

PUBLICIDADE

O cenário era de tristeza neste início da manhã na Rua Tenente Brito, na União das Freguesias (UF) de S. Martinho do Bispo e Ribeira de Frades, uma das muitas afetadas nesta noite trágica. O movimento era grande, com os reboques a chegarem ao local para transportarem os carros para as oficinas, ao mesmo tempo que algumas das vítimas falavam com as seguradoras e aguardavam que a ajuda chegasse.

Outros, ainda, metiam “mãos à obra” e tentavam encher os pneus furados, para analisarem se reuniam ou não condições para circularem até à oficina.

PUBLICIDADE

O Notícias de Coimbra falou com algumas das vítimas e a tristeza, a par com a revolta e indignação, era transversal a todos. Joaquim Almeida, 67 anos, ficou com três viaturas danificadas. Como no dia de Natal foi impossível resolver o problema, já que tudo estava encerrado, procurou arranjar uma solução para o filho. Conta que, com a ajuda e solidariedade de vizinhos e amigos, conseguiu substituir os pneus do carro do filho, para que pudesse ir hoje trabalhar.

Os outros dois carros continuavam estacionados, com os pneus do lado da estrada completamente vazios, à semelhança de muitos outros que se encontravam naquela rua, sendo grande o movimento naquela via no início da manhã.

PUBLICIDADE

Cláudio Lopes, 43 anos, também aguardava pelo reboque. Depois do choque recebido na manhã de Natal, é chegada agora de procurar retomar a normalidade, o que só sucederá quando o carro estiver novamente em condições de circular.

É mais uma das muitas vítimas deste ato de vandalismo que não poupou ninguém, nem a Guarda Nacional Republicana (GNR) de Taveiro que, como noticiou ontem o Notícias de Coimbra, também ficou com duas viaturas vandalizadas.

Houve ainda muitas pessoas que vieram de longe para passar o Natal com a família que também foram “apanhadas” neste ato de vandalismo, o que as obrigou a permanecer por mais tempo do que o previsto já que, alguns, só conseguiram mudar os pneus dos carros esta segunda-feira.

A azáfama era grande numa das oficinas de Taveiro, onde vários proprietários se dirigiram para mudar os pneus cortados. Ricardo Cruz, funcionário da Firts Stop – Joaquim Fernando M. Oliveira Lda, explicou ao Notícias de Coimbra que não “têm mãos a medir”, com os “carros a chegar desde o início da manhã”, alguns “via reboque” e outros pelos “próprios meios”, mas a chegar à oficina “com as rodas completamente danificadas”.

Muitas das viaturas não têm apenas um pneu danificado. “Já nos chegaram viaturas com os quatro pneus em baixo, como aconteceu com o primeiro cliente do dia, que veio passar o Natal e precisava de regressar ao Algarve”, explicou.

Mas a maior parte chega, como refere, com “dois pneus danificados, do lado esquerdo”, os pneus que estavam do lado da estrada, onde o presumível autor do ato de vandalismo acedia mais facilmente.

Ricardo Cruz explica que as pessoas “chegam muito revoltadas”, o que é normal porque o presumível autor “é uma pessoa que já provocou vários problemas na terra”.

Para além do transtorno e da tristeza, há ainda que lidar com os prejuízos. “As pessoas gastaram dinheiro no Natal e agora resolver um problema destes não fica barato, porque têm que voltar a pôr pneus novos o que numa época destas é difícil”, realça.

Por outro lado, muitas pessoas foram obrigadas a faltar ao trabalho para resolver o problema já que, como frisa Ricardo Cruz, “as viaturas hoje em dia são as suas pernas”.

O ato de vandalismo ocorreu na noite da Consoada em Ribeira de Frades e em Taveiro. Algumas pessoas ainda se depararam com os carros destruídos nessa noite mas a maioria apenas se apercebeu na manhã do dia de Natal. De acordo com as informações divulgadas pela GNR de Coimbra, serão cerca de 100 viaturas danificadas. Mas, fonte desta força de segurança explicou que “as queixas podem ser apresentadas durante seis meses”, daí que o número possa ainda continuar a subir.

O presumível autor dos atos de vandalismo, um homem de 54 anos que reside na zona, foi detido no domingo por “resistência e coação”, adiantou fonte da GNR. De acordo com as informações divulgadas, o homem terá saído da prisão para passar o Natal em casa.

Veja os vídeos dos diretos NDC:

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE