Conecte-se connosco

Saúde

Vacinação de crianças com 27 mil pedidos de agendamento

Publicado

em

A vacinação contra a covid-19 de crianças com 10 e 11 anos, que vai decorrer nos dias 18 e 19 de dezembro, reunia, até às 13:30 de hoje, 27 mil pedidos de agendamento, segundo informação oficial.

A opção de vacinar as crianças de 10 e 11 anos está disponível desde o final do dia de segunda-feira, no Portal de Agendamento Online, que permite pedir o agendamento da vacinação para o local e a data mais convenientes.

De acordo com o comunicado conjunto de Governo, Serviço Nacional de Saúde, Serviços Partilhados do Ministério da Saúde e Direção-Geral da Saúde divulgado hoje, o Portal de Agendamento Online passou também a possibilitar “o pedido de agendamento para a dose de reforço contra a covid-19 dos cidadãos com 50 ou mais anos que foram vacinados com uma dose da vacina Janssen”.

O portal mantém ainda a possibilidade de agendar a dose de reforço contra a covid-19 para os cidadãos com 65 ou mais anos e a modalidade “Casa Aberta” continua disponível para a vacinação contra a covid-19 ou contra a gripe de utentes com idade igual ou superior a 70 anos.

De acordo com o calendário apresentado pelo Governo para a vacinação de crianças, de 06 a 09 de janeiro serão vacinadas as que têm entre 9 e 7 anos, ficando reservados os dias 15 e 16 para vacinar o grupo dos 6 e 7 anos, enquanto a 22 e 23 serão vacinadas as de 5 anos.

Entre 05 de fevereiro e 13 de março serão administradas as segundas doses, altura em que ficará o esquema vacinal completo para esta faixa etária, que o Governo calcula em mais de 600 mil crianças.

As crianças com comorbilidades têm prioridade, independentemente da idade, desde que tenham prescrição médica, bastando dirigir-se aos centros para receberem a vacina contra o SARS-CoV-2.

A decisão de vacinar a faixa etária dos cinco aos doze anos continua a dividir as opiniões médicas e científicas, incluindo em Portugal.

A generalidade dos países tem optado por não vacinar as crianças antes dos doze anos, mas, à medida que o número de infeções aumenta e sobretudo depois de ter sido detetada a variante Ómicron, tem crescido o número dos Estados que estão a alargar os planos de vacinação a esta faixa etária.

Em Portugal, a decisão de vacinar foi comunicada pela Direção-Geral da Saúde no dia 7, depois de ouvida a Comissão Técnica de Vacinação e ponderadas as questões de natureza logística com o núcleo de coordenação de apoio ao Ministério da Saúde, nomeadamente a disponibilidade de vacinas da Pfizer, na versão pediátrica.

Na segunda-feira, chegaram a Portugal cerca de 300 mil doses de vacinas pediátricas contra a doença covid-19.

A covid-19 provocou pelo menos 5.311.914 mortes em todo o mundo, entre mais de 269 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, morreram, desde março de 2020, 18.687 pessoas e foram contabilizados 1.200.193 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde, foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 57 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade