Conecte-se connosco

Portugal

Utentes da A23 e A25 acusam Governo de não responder a pedido de audiência

Publicado

em

A Plataforma P’la Reposição das Scut A23 e A25 acusou hoje o primeiro-ministro de não responder a um pedido de audiência solicitado no âmbito da iniciativa “Governo Mais Próximo”, que decorre em Castelo Branco.

Em comunicado, a plataforma salientou que ao tomar conhecimento de que o Conselho de Ministros reuniria em Castelo Branco e que esta deslocação incluía várias visitas ao território, tomou a iniciativa de solicitar uma audiência a António Costa, através de um ofício.

No documento, recordaram que “um dos problemas muito sentidos nesta região interior é o custo das portagens nas Scut [vias sem custo para o utilizador], pois elas são mais um elevado custo de contexto para quem cá vive, para quem cá investe e para quem visita, constituindo-se, por isso, em mais um entrave ao desenvolvimento do Interior e à coesão territorial do país”.

Neste sentido, solicitaram ao primeiro-ministro que, “no âmbito da visita do Conselho de Ministros ao distrito de Castelo Branco” permita uma audiência para se debater “este sério problema e as medidas para o ultrapassar”.

Segundo a plataforma, apesar de nesta visita ao distrito de Castelo Branco, para além do primeiro-ministro, “estarem presentes governantes que tutelam a área das portagens e de também a estes já se ter solicitado audiência, até esta hora nenhum deles se dignou responder”.

“Sinceramente, era expectável que esta deslocação constituísse uma oportunidade para o senhor primeiro-ministro, dr. António Costa, nos dizer, de viva-voz, que iria cumprir com a promessa de repor as SCUT na Beira Interior (A23, A24 e A25) com a consequente eliminação das portagens, feita na campanha eleitoral de 2015 e reafirmada na campanha de 2022”.

A plataforma disse ainda que apesar da ausência de resposta por parte do primeiro-ministro “aguarda-se que, no mínimo, o aprove na reunião do Conselho de Ministros, já que as portagens são dos mais graves custos de contexto que afetam o Interior, as suas populações, os seus trabalhadores e as suas empresas”.

Adiantaram ainda que vão ficar atentos às conclusões da reunião do Conselho de Ministros que decorre na quinta-feira, em Castelo Branco, após a qual prometem tornar pública a sua posição.

A Plataforma P’la Reposição das Scut nas autoestradas A23 e A25 integra sete entidades dos distritos de Castelo Branco e da Guarda – a Associação Empresarial da Beira Baixa, a União de Sindicatos de Castelo Branco, a Comissão de Utentes Contra as Portagens na A23, o Movimento de Empresários pela Subsistência pelo Interior, a Associação Empresarial da Região da Guarda, a Comissão de Utentes da A25 e a União de Sindicatos da Guarda.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com