Conecte-se connosco

Coimbra

Usam testes covid falsos para entrar em discotecas de Coimbra (com vídeo)

Publicado

em

Há sites online que, em poucos segundos, permitem falsificar testes negativos à Covid-19 e certificados de vacinação digitais que depois estão a ser usados para entrar em bares e discotecas. A situação foi denunciada ao Notícias de Coimbra por Sérgio Figueiredo, gerente da recém-inaugurada discoteca LIT, que já apresentou queixa à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE). 

Os endereços das páginas circulam em grupos de WhatsApp e “permitem a produção de testes e certificados Covid falsos”, revela o empresário que na passada sexta-feira se deslocou à Delegação Regional da ASAE, em Coimbra, no sentido de “dar conhecimento da existência destes sites” e de “pedir ajuda para resolver o problema”.

O Notícias de Coimbra acedeu a um desses sites, o testaja.net, e comprovou a rapidez com que é possível emitir um certificado ou um teste negativo em nome de quem se quiser. “Não quer tomar a vacina contra a Covid-19 ou perder tempo para fazer um teste obrigatório para entrar num evento? Nós temos a solução científica”, lê-se da página de entrada do “Laboratório Santa Liberdade”. Neste modelo, a República Portuguesa passa a ser “Resistência Portuguesa”, mas os símbolos e a localização da nomenclatura é em tudo semelhante à original. Já nos testes e nos certificados não é possível perceber qualquer diferença em relação aos reais.

Na LIT Coimbra, até à data, assegura Sérgio Figueiredo, “a esmagadora maioria dos testes apresentados à porta foram feitos pelo laboratório com que estabelecemos parceria, a ACTUALAB, que faz testes no Centro Comercial Avenida, aqui ao lado, e que inclusivamente passou a disponibilizar o resultado dos testes em papel”. Neste momento, “a preocupação prende-se com a aproximação de um período de maior frequência de clientes, numa altura em que é bastante difícil conseguir marcação para fazer o teste em laboratórios e farmácias convencionadas”, refere o responsável, dizendo que “não há forma de verificar que o teste ou certificado apresentado seja falsificado”.

Garantindo que até agora “não há registo de qualquer tentativa de entrada no LIT com certificados ou testes falsos”, Sérgio Figueiredo, teme que a situação perca o controlo. “Queremos garantir a segurança de todos os nossos clientes e colaboradores, com um controlo rigoroso dos testes e certificados à porta, mas é importante que as autoridades auxiliem os espaços de diversão noturna nessa tarefa, primeiramente ao fazer cerco a quem de forma lúdica ou para obter lucros, continua a disponibilizar ou compactuar com esta realidade de testes falsos”, sustenta.

Para o gerente desta discoteca, na avenida Sá da Bandeira, “urge terminar com estes sites que disponibilizam testes falsos, aumentar o número de testes comparticipados por pessoa e aumentar a fiscalização junto dos espaços de diversão noturna”. O empresário sugere que a Câmara Municipal de Coimbra “replique  aquilo que já se verifica em algumas das maiores cidades do país: disponibilizar testes gratuitos no período noturno para que não haja a tentação de recorrer a mecanismos ilícitos para poder frequentar espaços de diversão noturna”.

Para facilitar o processo, revela Sérgio Figueiredo, o LIT Coimbra reforçou a parceria com o laboratório de análises para “antecipar o período de testagem para o final da tarde” e assim evitar constrangimentos nas horas de maior afluência.

A apresentação de um teste PCR ou antigénio negativo à Covid-19 é obrigatória para a entrada nos espaços de diversão noturna, mesmo que a pessoa esteja vacinada. Portugal entrou em Estado de Calamidade a 1 de dezembro.

Veja o vídeo NDC com Sérgio Figueiredo:

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link