Coimbra

Universidade e Região de Coimbra querem acolher refugiados e migrantes

Notícias de Coimbra | 8 anos atrás em 12-04-2016

A Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra  (CIM  RC) e a Universidade de Coimbra (UC) apresentaram uma candidatura à União Europeia para Serviço de Inserção Intermunicipal de Refugiados e Migrantes.

PUBLICIDADE

A Kurdish refugee boy from the Syrian town of Kobani holds onto a fence that surrounds a refugee camp in the border town of Suruc, Sanliurfa province November 3, 2014.  REUTERS/Yannis Behrakis (TURKEY - Tags: TPX IMAGES OF THE DAY CONFLICT POLITICS CIVIL UNREST) - RTR4CLQC

A Kurdish refugee boy from the Syrian town of Kobani holds onto a fence that surrounds a refugee camp in the border town of Suruc, Sanliurfa province November 3, 2014. REUTERS/Yannis Behrakis (TURKEY – Tags: TPX IMAGES OF THE DAY CONFLICT POLITICS CIVIL UNREST) – RTR4CLQC

Segundo a CIM RC, a criação do Serviço de Inserção Intermunicipal de Migrantes (SIIM) é o principal objetivo da candidatura submetida, no final de Março, à iniciativa Urban Innovative Actions (UIA) da Comissão Europeia, tendo a CIM Região de Coimbra como Autoridade Urbana Principal e a Universidade de Coimbra como Parceiro de Execução.

Com investimento total previsto de 2,5 Milhões de Euros, o Serviço de Inserção Intermunicipal de Migrantes inclui um projeto-piloto de inserção e capacitação de migrantes e refugiados em contextos locais, através da criação e dinamização de uma estratégia focada na capacitação dos indivíduos.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Através da criação de dispositivos de inserção, comunicação e articulação intermunicipal, nacional e europeia, o projeto da CIM Região de Coimbra, em parceria com a Universidade de Coimbra, pretende criar uma atmosfera regional de atratividade a imigrantes e refugiados, adianta a CIM RC através de comunicado enviado a NDC.

PUBLICIDADE

A CIM RC garante que “das sinergias entre instituições regionais, do suporte e potencialização de recursos e de dinâmicas empreendedoras, resultará um sistema integrado de integração social, que através de uma política de atração da diversidade, propõe-se alavancar o desenvolvimento socioeconómico regional”.

O Serviço de Inserção Intermunicipal de Migrantes tem como preocupação central a inclusão de minorias, com a igualdade de género e com a capacitação de indivíduos provenientes de grupos em risco de exclusão social.

Com esta iniciativa, a Região de Coimbra pretende assumir-se  “como região inclusiva promovendo a integração de qualquer indivíduo sem exceção (em razão de ascendência, sexo, orientação sexual, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica ou condição social)”.

A candidatura inclui o primeiro projeto-região que cria valor ao procurar integrar migrantes e refugiados através de políticas e práticas de capacitação ativa promovendo uma utilização dos recursos endógenos.

Os promotores consideram que é  “um projeto inovador a várias dimensões, já que pode ser replicado noutras regiões da Europa, fomenta o empreendedorismo e a inovação (incluindo a inovação social) com impacto local ao mesmo tempo que prepara o retorno aos países de origem dos imigrantes e refugiados ou a sua relocalização em regiões parceiras da CIM RC”.

“Visa capacitar em domínios inovadores como o municipalismo ou a inovação social visando a migração de boas práticas. Propõe-se acolher para capacitar refugiados e migrantes de outras regiões parceiras na EU visando a criação de um programa de solidariedade inter-regional que facilite a integração (Erasmus refugiado ou imigrantes). Revela-se, também, inovador na abordagem holística que propõe às diversas dimensões de inclusão e do empreendedorismo, mas também na criação de sinergias, com outros territórios de acolhimento, nomeadamente, na Europa potenciando o uso de tecnologias, como plataformas digitais de acessos comuns”, concluiu a CIM RC.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE