Universidade

Universidade de Coimbra realiza demonstração de soluções de autoproteção de edifícios em caso de incêndios

Notícias de Coimbra | 3 meses atrás em 08-01-2024

O Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais (CEIF) da Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) realiza esta quarta-feira, 10 de janeiro, uma demonstração de soluções de autoproteção de edifícios em caso de incêndio rural.

PUBLICIDADE

Este evento de demonstração de resultados do projeto “House Refuge” (Casa Segura), terá lugar no Laboratório de Estudos sobre Incêndios Florestais, na Lousã, a partir das 9:15h.

Os últimos anos têm-se caracterizado por uma tendência crescente na severidade e frequência de grandes incêndios rurais. Uma análise ao registo histórico de incêndios permite verificar que os seis maiores incêndios rurais alguma vez registados ocorreram desde 2012. Para além disso, estas grandes ocorrências têm tido enormes impactos no ambiente construído, incluindo um número de vítimas mortais sem precedentes.

PUBLICIDADE

publicidade

De acordo com Miguel Almeida, investigador da ADAI e coordenador do projeto, “uma das lições que se pode tirar das tragédias registadas é que, quando ocorrem incêndios catastróficos, o dispositivo público de combate e proteção contra incêndios rurais nunca é suficiente para acudir a todas as situações que carecem de intervenção. Por outro lado, a alocação de meios para proteção de cidadãos ou edifícios retira capacidade de supressão do incêndio, o que impede uma atuação efetiva na raiz do problema”.

Perante tal, “compreende-se que a capacidade de autoproteção e as medidas de prevenção e preparação dos cidadãos e comunidades para enfrentarem os incêndios rurais são essenciais e cada vez mais urgentes no ciclo de gestão de grandes incêndios. O que exige, por sua vez políticas públicas e medidas legislativas ajustadas e eficazes ao magno desafio enfrentado”, considera o especialista, acrescentando que a atual legislação portuguesa relativa à gestão do risco de incêndio rural na interface urbano florestal (IUF), no espaço onde a vegetação e pessoas ou infraestruturas coexistem de forma expressiva, apresenta pouca fundamentação científica que deveria servir-lhe de suporte.

PUBLICIDADE

Assim, o projeto “House Refuge” surgiu com o intuito de dar uma melhor resposta no âmbito da gestão do risco de incêndio na IUF à escala da propriedade, ou seja, na construção e na sua envolvente até 50 metros. Desta forma, foram desenvolvidos vários conteúdos técnicos que se focaram em componentes como a construção, a envolvente e a capacidade de autoproteção.

Para além disso, “foi feita uma análise à atual legislação e realizado um estudo ao setor dos seguros sobre as suas práticas atuais e perspetivas futuras em relação à assunção do risco de incêndio rural em edifícios. Está ainda prevista a publicação de dois livros com resultados, um de índole científica e outro de índole mais técnica, bem como a publicação de um conjunto de vídeos com instruções básicas para que o cidadão comum possa perceber o que fazer antes, durante e após um incêndio rural que ameace a sua casa e o seu ambiente familiar” finaliza.

Além da apresentação dos principais resultados obtidos no projeto, a sessão conta com a partilha e debate de várias propostas científicas, técnicas e jurídicas relativamente à gestão do risco de incêndio nestes espaços, olhando para o cidadão enquanto elemento central de todo este processo.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE