Conecte-se connosco

Universidade

Universidade de Coimbra apresenta Associação de Antigos Estudantes em Moçambique

Publicado

em

A Universidade de Coimbra apresentou hoje em Moçambique a Associação de Antigos Estudantes – Rede Alumni, numa cerimónia, em Maputo, que contou com a intervenção do antigo Presidente da República moçambicana (e Doutor Honoris Causa pela UC) Joaquim Chissano.

“À semelhança do que fizemos recentemente na Benelux e em São Tomé e Príncipe, o lançamento da Rede Alumni em Moçambique visa aproximar cada vez mais os nossos Antigos Estudantes da sua Alma Mater, tentando que eles sejam os nossos Embaixadores, verdadeiros braços armados da internacionalização da UC”, disse o vice-reitor para as Relações Externas e Alumni, João Nuno Calvão da Silva, citado numa nota de imprensa da UC enviada à agência Lusa.

De acordo com a UC, a “sessão de lançamento da Rede Alumni UC em Moçambique, realizada na sede do Instituto Camões/Embaixada de Portugal em Maputo, foi um dos pontos altos da visita ao país africano de uma comitiva da Universidade, encabeçada por João Nuno Calvão da Silva.

O evento contou com intervenções de João Nuno Calvão da Silva e de Joaquim Chissano, e com o discurso do embaixador de Portugal em Moçambique, António Costa Moura.

Realizou-se ainda o debate “UC e Moçambique: Desafios e Oportunidades”, com participação de antigos estudantes da UC e moderação de Sandra Machatine, Juíza Conselheira do Tribunal Supremo moçambicano.

“No âmbito da visita da comitiva da UC a Moçambique, foram também celebrados memorandos de entendimento com a Procuradoria-Geral da República e a Universidade Joaquim Chissano e vai realizar-se na terça-feira uma conferência internacional sobre Direitos Humanos, promovida pela Universidade de Coimbra e pelo Ministério da Justiça e Assuntos Constitucionais e Religiosos de Moçambique, no âmbito do acordo de cooperação entre as duas instituições celebrado no ano passado”.

“Trata-se de parcerias de prestígio – uma delas concretizada agora em Maputo com a formação ministrada aos mais altos quadros públicos moçambicanos em tema fundamental – que visam, à semelhança do que temos feito com outras entidades estaduais lusófonas, contribuir para a consolidação e credibilidade do Estado de Direito”, explicou João Nuno Calvão da Silva.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link