Conecte-se connosco

Portugal

Um bombeiro ferido com gravidade em explosão na Amadora

Publicado

em

A explosão ocorrida hoje num prédio de habitação no Casal de São Brás, Amadora, provocou 15 feridos, incluindo seis bombeiros, um dos quais em estado grave, disse o comandante operacional distrital de Lisboa, Hugo Santos.

Cinco bombeiros são feridos ligeiros, tal como os feridos civis, de várias idades.

O bombeiro ferido com gravidade tem lesões ao nível da bacia e algumas fraturas, e foi transportado para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.

“os bombeiros foram chamados para uma fuga de gás no número 7 [da Rua José Maria Pereira] e quando se encontravam na fase inicial do reconhecimento, a chegar à fração onde deflagrou a explosão, no sétimo piso, ocorreu a explosão, afetando a equipa que se encontrava no interior da estrutura”, explicou aos jornalistas, no local.

As autoridades estão a aferir a totalidade das pessoas que se encontravam no edifício, já que algumas saíram sozinhas e outras foram retiradas pelas forças de socorro.

“Estamos a fazer a avaliação final para ver se não está mais ninguém no prédio”, indicou Hugo Santos, referindo que o edifício, de oito pisos, sofreu “danos graves”.

Segundo o comandante, as vítimas foram atingidas por estilhaços devido à explosão e um dos bombeiros foi “projetado pela caixa do elevador desde o sexto andar até ao segundo”, apresentando “lesões na bacia e várias fraturas”.

Hugo Santos afirmou desconhecer quantos moradores habitam no prédio acidentado. As autoridades vão identificar os residentes para saber se precisam de realojamento pelo município ou se optam por ficar em casa de familiares.

“O prédio tem danos graves na estrutura e será feita uma avaliação por parte da Câmara Municipal da Amadora, e depois tomam-se decisões”, que podem passar por impedir que as pessoas regressem a casa ou pela estabilização do prédio, disse.

Os prédios adjacentes também foram evacuados “por precaução” e vão ser avaliados por apresentarem danos causados pelos destroços da explosão que foram projetados, nomeadamente em janelas, estores e portas, acrescentou, salientando que a entrada dos moradores será gradualmente validada pela Proteção Civil.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) referiu entretanto à Lusa que foram assistidos 16 feridos, dos quais um bombeiro em estado grave.

Dos restantes feridos, 14 são ligeiros, entre os quais quatro bombeiros e 10 civis. Estas 14 pessoas foram transportadas para os hospitais de são Francisco Xavier e de Santa Maria, em Lisboa, e Fernando da Fonseca, na Amadora.

Foi ainda assistido no local um outro bombeiro que não precisou de ser transportado para uma unidade hospitalar, segundo o INEM.

Para assistência aos feridos, indicou, foram mobilizadas para o local duas viaturas médicas de emergência e reanimação (VMER), 10 ambulâncias do INEM, bombeiros, Cruz Vermelha e uma unidade móvel intervenção psicológica de emergência.

Segundo a página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o alerta para a explosão foi dado às 10:53 e para o local foram mais de 90 elementos e 30 viaturas das forças de socorro e segurança.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link