Cidade

Tutti-Frutti (com vídeos)

Notícias de Coimbra | 6 anos atrás em 02-07-2018

A transparência municipal volta a estar no centro de uma polémica entre o movimento Somos Coimbra e Manuel Machado, mas o populismo também está na ordem do dia da situação e da oposição local.

PUBLICIDADE

Na última Assembleia Municipal de Coimbra, Filomena Girão, do Somos Coimbra, subiu à tribuna para falar do “que não foi surpresa nos últimos dias”.

PUBLICIDADE

A líder da bancada municipal do movimento liderado pelo vereador José Manuel Silva (ausente) utilizou expressões como tutti frutti, tutti quanti, populismos, mãos limpas ou mafia para falar da Câmara Municipal de Coimbra

Filomena Girão exigiu mais controlo da actividade municipal, que, no seu entender, está longe de ser transparente e precisa de uma cultura nova.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Veja a intervenção de Filomena Girão no vídeo do Directo NDC:

“A falar em corrupção, populismo e outras coisas, eu não percebi Dra Girão”, respondeu Manuel Machado, Presidente da Câmara Municipal de Coimbra.

Não percebi porque há escassos dias o seu grupo Somos Coimbra tratou de forma indigna, miserável o Presidente da Câmara Municipal de Coimbra.

Quem insultou, vilipendiou, agrediu criminosamente o Presidente da Câmara, acusando-o de falsificador,  tem diginidade para aqui falar nestes termos?. Não podemos falcatruar a ética, concluiu Manuel Machado.

Veja a intervenção de Manuel Machado no vídeo do Directo NDC:

 Recordamos que o  movimento Somos Coimbra, liderado por José Manuel Silva pediu, no dia 7 de junho, a demissão do presidente e do vice-presidente do município de Coimbra por alegada falsificação de uma votação na aprovação do regimento das reuniões camarárias.

Manuel Machado reagiu no final desse dia e afirmou que “O vereador da Câmara Municipal de Coimbra, José Silva, não tem razão, nem fala a verdade”.

O antigo bastonário dos médicos e líder do movimento Somos Coimbra (SC), José Manuel Silva, acusou o presidente da Câmara de Coimbra, o socialista Manuel Machado, de, com a conivência do vice-presidente, Carlos Cidade, ter falsificado o “resultado de uma votação da câmara e logo num dos seus momentos mais solenes, a aprovação do Regimento das reuniões do executivo”.

Pedindo a demissão dos dois autarcas, José Manuel Silva disse que apresentou queixa à Provedoria de Justiça e à Inspeção-Geral das Finanças.

As atas das reuniões da Câmara “são elaboradas pelos serviços, distribuídas atempadamente com a ordem de trabalhos da reunião seguinte, como é obrigação legal, sendo o primeiro ponto da ordem do dia de cada reunião a aprovação da ata da reunião anterior, pelo órgão colegial, nos termos da lei”, contrapôs Manuel Machado.

Além disso, acrescenta, “as reuniões da CMC, tal como as respetivas atas, são públicas e, por isso, estão disponíveis para consulta de cada cidadão, assim que aprovadas, de forma livre e gratuita”, na página do município na internet e através de edital.

 

 

 

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE