Coimbra

Turismo do Centro enterra 130 000 na Feira do Património

Notícias de Coimbra | 9 anos atrás em 13-10-2015

A Entidade Regional de Turismo do Centro “investiu” mais de 130 000 Euros em contratos por ajuste directo a empresas envolvidas na realização da Feira do Património.

PUBLICIDADE

feira património

A SPIRA, Lda, com sede em em Vila  Nova da Baronia, apresentada como promotora do evento, recebeu 91 020.00 Euros para efectuar as “Obrigações de autoria e conceção do Projeto “Feira do Património.pt”, a programação e gestão das atividades apresentadas no decorrer do evento”.

PUBLICIDADE

Na lista de ajustes directos segue-se o aluguer durante 3 dias de uma tenda à Telfor pelo valor de  25 830.00 Euros,  de uns bens empregues 9 480.00 Euros  para a empresa  (O Cubo) produzir o Video Mapping  e de  7 260.00  Euros à Pacatodisseia, Lda para “Prestação de Serviços para Produção da Feira do Património”.

Verifica-se assim que só a Turismo do Centro “enterrou” mais de 130 000 Euros numa feira que teve pouco mais do que uma dúzia de stands, sem atracções culturais que projectem Coimbra a nível nacional, onde até o espectáculo de vídeo mapping, (com grande êxito na Universidade de Coimbra), teve fraca adesão de público, e, se uma boa parte do espaço não fosse ocupado com mesas de restaurante, a tenda apresentaria um aspecto ainda mais desolador e encafuado.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Notícias de Coimbra ainda não conseguiu apurar os montantes gastos pela Direcção Regional de Cultura do Centro, da Universidade de Coimbra e da Câmara Municipal de Coimbra do evento que podia ter marcado o último fim de semana no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha.

Para além destes parceiros locais e regionais, a Feira do Património contou ainda com o apoio da Fundação Millennium BCP.

O site do evento não indica para quem revertem as receitas da venda de bilhetes e o aluguer de espaço aos expositores da edição de 2015.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE