Coimbra

Turismo conclui que Queima das Fitas é melhor que Carnavais do Centro

Notícias de Coimbra | 9 anos atrás em 31-07-2015

A Turismo Centro de Portugal apresentou hoje, sexta-feira 31 de julho, no Museu Nacional de Machado de Castro, o Barómetro da Marca Centro de Portugal.

PUBLICIDADE

unnamed (15)

A apresentação contou com a presença de Ana Alcoforado – Directora do Museu Nacional de Machado de Castro, Pedro Machado – Presidente da Turismo Centro de Portugal e de Irina Amaral – Investigadora e Coordenadora do IPAM Lab.

PUBLICIDADE

O estudo foi realizado com base num inquérito por questionário, com escolha aleatória dos inquiridos, aplicado na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), na Feira Internacional de Lisboa (FIL), entre 25 de fevereiro e 1 de março de 2015, junto dos visitantes da BTL.

A recolha foi feita por voluntários com idades superiores a 18 anos, que receberam formação prévia de investigadores do IPAM Lab de Aveiro. A dimensão da amostra é de 1.116 indivíduos (respostas válidas), com um perfil sociodemográfico distribuição ligeiramente superior de inquiridos do género feminino (56%) e de inquiridos entre 18 e 34 anos (46,2% dos inquiridos).

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Dos inquiridos, 49,5% são solteiros e 32,9% são casados ou vivem em união de facto. Cerca de 52,4% dos inquiridos não têm filhos, mas 41,3% têm um ou dois filhos. A maioria (54,9% dos inquiridos) tem formação superior, essencialmente bacharelato ou licenciatura e 35,6% tem 12º ano.

No que respeita à ocupação profissional, 66,4% dos inquiridos têm ocupação relacionada com o turismo, sendo que 20,1% trabalham na área da hotelaria.

A larga maioria dos inquiridos (95,8%) conhece a região Centro de Portugal e nem reside, nem trabalha nessa região (73%). As zonas turísticas com maior notoriedade foram Lisboa (19,8%) e Algarve (19%), Coimbra (12,3%) e Alentejo (11,7%).

Principais resultados sobre a notoriedade e avaliação da imagem da Região Centro de Portugal.

Na componente de notoriedade espontânea (Top of Mind), o Centro de Portugal aparece associado à natureza, à cultura, à universidade, ao património e à história.

Na notoriedade assistida, 64,2% dos inquiridos associam a Região Centro de Portugal à história, 58,4% associam-na ao património, 42,2% à gastronomia, 39,6% à natureza, 38% aos vinhos, 37% à cultura, 25% à saúde e bem-estar e 21,5% ao turismo religioso.

As cidades (Top of Mind) da Região Centro de Portugal são Coimbra (68,5%), Aveiro (22,9%), Leiria (16,8%) e Viseu (7,9%).

Do total dos inquiridos, 28,6% costuma fazer férias ou visitar a região, indicando uma frequência de visita, na sua maioria, anual (53,1% desses inquiridos) com duração da estadia inferior a 3 dias. Preferem as unidades hoteleiras (41,9% desses inquiridos) ou casa de familiares / amigos (30,6% desses inquiridos). No que respeita aos gastos médios com as suas estadias na Região Centro de Portugal, 44,4% dos inquiridos afirma gastar, em média, até 150 euros.

No que respeita à avaliação da Região Centro de Portugal pelos inquiridos que costumam fazer férias ou visitar esta região, a oferta gastronómica da Região Centro de Portugal obteve a maior classificação média (4,33 numa escala Likert de 1 a 5).

A simpatia e o acolhimento foram avaliados com Bom ou Excelente por 82,7% dos inquiridos que fizeram férias ou visitaram esta região, tendo obtido uma classificação média de 4,11.

A avaliação da qualidade global da experiência turística no Centro de Portugal é muito favorável (classificação média de 4,05), sendo que 98,1% desses inquiridos recomendariam a Região Centro de Portugal a terceiros.

A avaliação dos atributos turísticos desta região, permite destacar os vinhos e a gastronomia, mas todos os atributos turísticos obtiveram excelentes avaliações, superiores a 4,10 numa escala Likert de 1 a 5.

Nas principais atrações turísticas do Centro de Portugal, destacam-se a Universidade de Coimbra (44,7% dos inquiridos) e o Santuário de Fátima (44,4% dos inquiridos), seguidos pela gastronomia (36,7%), pelas praias (32,6%), pela cultura (26,5%), pela cidade de Aveiro(26,3%), pela ria (25,1%), pela serra (24,5%) e pela natureza (21,1%).

Na gastronomia, destacam-se o leitão (55,5% dos inquiridos), os ovos-moles (45,1%), a chanfana (38%), seguidos pelo cabrito (21,7%), pelo bacalhau (21,6%) e por fim pela lampreia (17,5%) e pelas enguias (17,2%).

Nas tradições, destaca-se a queima das fitas (53,2%), seguindo-se as tradições académicas (39,2%), o fado (34,4%), e por fim o carnaval(23,9%), o rancho (22,8%) e as festas populares (22,6%).

Os monumentos mais referidos foram a Universidade de Coimbra (60,9%), o Santuário de Fátima (41,1%), os mosteiros da Batalha(38,9%) e Alcobaça (31,7%) e a Sé Velha (29,7%).

Nas Praias, destaca-se Figueira da Foz (57,7%), Nazaré (42,2%), Peniche (29,2%), Mira (27,3%) e Barra (24,1%).

Nos Eventos anuais, destaca-se a queima das fitas (57,2%), 13 de maio (41,4%), feira do chocolate de Óbidos (29,4%), o carnaval(22,1%) e Expofacic (21%).

A Turismo do Centro conclui que “com base nos resultados obtidos e à luz da amostra obtida, a imagem da Região Centro de Portugal tem potencial de crescimento e atributos valiosos que podem ser trabalhados na comunicação da marca junto do público português, estando em linha com os vetores de posicionamento da marca Centro de Portugal, referidos no plano de marketing da Entidade Regional Turismo do Centro”.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE