Conecte-se connosco

Economia

Trigo-mole, abóbora almiscarada ou carrapiço. Há mais de mil nomes agrícolas e hortícolas

Publicado

em

Portugal tem mais de mil denominações agrícolas registadas, entre batatas, cereais, forrageiras, oleaginosas e hortícolas, com o tomate, milho e girassol em maior número, segundo o catálogo nacional de 2022, que foi hoje divulgado.

A produção, certificação e comercialização da grande maioria das sementes das espécies agrícolas e hortícolas reguladas implica que estas estejam inscritas nos catálogos de variedades de espécies agrícolas e hortícolas.

Para a inscrição no catálogo nacional, as variedades em causa são submetidas a ensaios oficiais de distinção, homogeneidade e estabilidade, bem como, no caso das espécies agrícolas, a ensaios de valor agronómico e de utilização.

No catálogo português de 2022, contabilizam-se mais de 1.000 denominações, destacando-se, em número, o tomate (215), como o centauro, ‘dancer’, evaristo, júpiter, nelson ou zapateco.

Seguem-se o milho (174, incluindo duas variedades de conservação), com denominações como calabre, calipso, sumatra ou viseu, e o girassol (96), que abrange denominações como arlette, buleria, castelo ou orego.

O catálogo apresenta ainda 50 denominações de melão, incluindo capoverde, blue boy e marvel, 48 de melancia, como a amazonia, marbella ou super gun, 40 de pimento, 40 de sorgo e 30 de azevém-anual.

Em maior número destacam-se ainda as denominações de cebola (29), aboborinha (15), batata (15), luzerna (15), feijão (13), grão-de-bico (12) e azevém-perene (11).

Com menos de 10 e até cinco denominações aparecem o nabo (nove), festuca-alta (oito), ervilha-forrageira (seis), ervilhaca-vulgar (sete), beringela (sete), trigo-mole (sete), ervilhaca-de-cachos-roxos (seis), repolho (seis), trevo subterrâneo (seis), couve portuguesa (seis), aveia (seis), trigo-duro (seis) arroz (cinco), agrião (cinco), brócolos (cinco) e pepino (cinco).

Abaixo disto, figuram a alface (quatro), abóbora almiscarada (quatro), trevo-vesículoso (quatro), trevo-branco (quatro), faveta (quatro), chícharo (quatro), híbridos resultantes do cruzamento de uma espécie do género ‘triticum’ com uma espécie do género ‘secale’ (quatro), aveia estrigosa ou aveia negra (três), serradela (três), serradela-brava (três), panasco (três), trevo da pérsia (três), trevo encanando (três), abóbora-menina (três), couve-flor (três), ervilha (três) e híbridos resultantes do cruzamento de ‘sorghum bicolor’ com ‘sorghum sudanense’ (três).

Com duas denominações incluem-se o azevém-híbrido, bersim, biserrula, ervilhaca-vermelha, gero, tremocilha, trevo-balança, trevo-rosa, trevo-squarroso, abóbora-híbrida, cenoura, couve-lombarda, feijão variedade de conservação e feijão-frade.

Por último, com apenas uma denominação contabilizam-se o trigo duro variedade de conservação, trigo mole variedade de conservação, bromo, carrapiço, grão de bico variedade de conservação, língua de ovelha, luzerna-murex, luzerna-de-barril, luzerna-doliata, planta de harding, tremoceiro branco, tremoceiro de folhas estreitas, trevo glandulífero, trevo istmocarpo, trevo-violeta, linho, abóbora carneira, abóbora chila ou gila, abóbora porqueira variedade de conservação, beterraba de mesa, cebolinha-comum, coentro, nabiça, espinafre, fava e lentilha.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link