Conecte-se connosco

Desporto

The special one: José Mourinho chega ao 26.º título!

Publicado

em

O português José Mourinho conquistou hoje o 26.º título como treinador principal de futebol, ao conduzir a Roma à vitória na primeira edição da Liga Conferência Europa, cinco anos e um dia após o último ‘caneco’.

Uma vitória por 1-0 sobre os neerlandeses do Feyenoord, em Tirana, na Albânia, acabou com um espera que durava desde 24 de maio de 2017, dia em que, ao comando do Manchester United, tinha vencido o Ajax na final da Liga Europa (2-0).

No jogo 1.050 da carreira, Mourinho volta aos títulos e torna-se o primeiro a vencer a nova competição da UEFA, sendo que, no seu currículo, tinha ainda mais três vitórias em provas europeias, duas na Liga dos Campeões e uma na Taça UEFA.

O técnico luso, de 59 anos, venceu a primeira ‘Champions’ pelo FC Porto (2003/04), clube pelo qual arrebatou, um ano antes, a Taça UEFA (2002/03), e sagrou-se campeão europeu pela segunda vez, e até agora última, ao comando do Inter Milão (2009/10).

Além dos cinco títulos internacionais, num currículo em que falta o Mundial de clubes, que nunca disputou, e a Supertaça Europeia, na qual somou três desaires, Mourinho venceu 21 provas nacionais, em Portugal, Inglaterra, Itália e Espanha.

Depois de passagens em ‘branco’ por Benfica (2000/2001) e União de Leiria (2001/02), o técnico luso começou a ganhar no FC Porto (2001/02 a 2003/04), nomeadamente dois campeonatos, uma Taça de Portugal e uma Supertaça, além das duas provas europeias.

Seguiu-se o ‘milionário’ Chelsea, ao serviço do qual, na primeira passagem, entre 2004/05 e 2007/08, arrebatou duas edições da Premier League, uma da Taça de Inglaterra, duas da Taça da Liga inglesa e um da Supertaça.

Nas duas temporadas seguintes (2008/09 e 2009/10), rumou a Itália, onde, ao comando do Inter, ganhou duas vezes a Serie A, uma a Taça de Itália e uma a Supertaça, além da ‘Champions’, a ‘cereja no topo do bolo’.

Mourinho conduziu os ‘nerazzurri’ ao título europeu no Bernabéu, onde ficou a ‘morar’ nos três anos seguintes (2010/11 a 2012/13), para somar mais três cetros, um campeonato, uma Taça do Rei e uma Supertaça espanhola, numa difícil ‘batalha’ com o FC Barcelona, de Pep Guardiola e Lionl Messi.

Decidiu, então, voltar ao Chelsea, para, entre 2013/14 e 2015/16, ganhar mais ‘canecos’, a Liga inglesa, a sua terceira – e oitavo, e ainda último, campeonato, em 2014/15 -, e a Taça da Liga inglesa.

Após ser despedido dos ‘blues’ pela segunda vez, José Mourinho foi escolhido pelo Manchester United, no qual esteve entre 2016/17 e 2018/19, acumulando, na primeira época, mais uma Taça da Liga e uma Supertaça, além da Liga Europa.

O técnico luso nada venceu nas duas últimas épocas no United, a derradeira incompleta, e também não juntou títulos ao currículo pelo Tottenham (2019/20 e 2020/21), mas, hoje, voltou aos títulos, na primeira época ao comando da Roma.

Numa época em que celebrou o seu jogo 1.000, com um 2-1 ao Sassuolo, na ronda 3 da Serie A, em 12 de setembro de 2021, Mourinho ajudou também a Roma a acabar com uma ‘seca’ de títulos que durava desde a vitória na Taça de Itália de 2007/08.

José Mário Santos Mourinho Félix, que iniciou a carreira com um desaire por 1-0 com o Boavista, no Bessa, ao comando do Benfica, em 23 de setembro de 2000, contabiliza 662 vitórias, 217 empates e 171 derrotas, com 2.045 golos marcados e 913 sofridos.

A Roma, que comandou hoje pela 55.ª vez em 2021/22, é o nono clube que Mourinho treina, após Benfica (11 jogos), União de Leiria (20), FC Porto (127), Chelsea (185 na primeira passagem e 136 na segunda, para um total de 321), Inter Milão (108), Real Madrid (178), Manchester United (144) e Tottenham (86).

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link