Conecte-se connosco

Coimbra

Terras da Chanfana felizes com presença na final das 7 Maravilhas à Mesa

Publicado

em

As Mesas de Terras da Chanfana e Vila Real foram as duas apuradas na noite de ontem, numa Gala emitida pela RTP1 e RTP Internacional a partir de Monsaraz.

O Município de Reguengos de Monsaraz, enquanto anfitrião da primeira Gala, recebeu para além da sua mesa, as mesas de Almeirim, Braga, Monchique, Ponta Delgada e Reguengos de Monsaraz, que também estavam em votação até ontem, e que terminam aqui a sua participação na eleição das 7 Maravilhas à Mesa.

A estas duas mesas vão juntar-se mais 12 finalistas nos próximos domingos, até 2 de setembro. As 14 finalistas voltam a ser votadas entre 9 e 16 de setembro, e mantêm nessa segunda fase de votação pública os mesmos números de telefone atribuídos.

Em votação desde 20 de julho estão mais 42 mesas candidatas a Maravilha de Portugal. A votação é feita por chamada telefónica e as Mesas vão sendo eliminadas nas Galas a emitir todos os domingos, com duas candidatas apuradas em cada Gala, que passam assim à Final a 16 de setembro. Os números de votação podem ser consultados no site oficial das 7 Maravilhas.

A chanfana, o queijo do Rabaçal DOP, o mel da Serra da Lousã DOP, o Licor Beirão, o vinho da Quinta de Foz de Arouce, o Mosteiro de Santa Maria de Semide e os trilhos da natureza da Serra da Lousã são os ‘trunfos’ da candidatura da Dueceira, que assenta num património gastronómico e cultural partilhado pelos quatro municípios que integram a associação.

Depois de saber que a Mesa Terras da Chanfana ia à final, Luís Antunes, Presidente da Dueceira, destacou em directo na RTP 1 o trabalho conjunto dos municípios da Lousã, Miranda do Corvo, Penela e Vila Nova de Poiares, um trabalho “ganho à partida”

O também líder da autarquia lousanense acrescentou que “temos uma mesa muito valiosa, com produtos de grande valor, com base na chanfana, aquilo que nos une”.

Hoje, na sua página do Facebook, Luís Antunes agradeceu “a todas as entidades públicas e privadas e a todas as pessoas dos 4 Concelhos que têm participado neste projeto congregador de valor e vontades”. 

“Para além do reconhecimento do mérito, este momento constitui uma homenagem a todos os que nestes territórios se empenham em fazer acontecer e também um encorajamento para outros desafios Juntos ,conseguimos! No dia 16 de Setembro, lá estaremos na final em Albufeira”, publicou Luís Antunes. 

As Galas são criadas e produzidas pelas TAVOLANOSTRA Eventos Globais, parceiros das 7 Maravilhas há vários anos, e a celebração da eleição das finalistas faz-se num cenário sem precedentes e com o recurso à expressão artística celebrando a diversidade e riqueza do património português, espelhando a alma do nosso povo tanto quanto a nossa mesa. Numa espécie de alegoria também as Galas serão servidas à Mesa!

Focado na temática, numa abordagem que junta uma visão mais popular e tradicional presente nos elementos cenográficos,  com a modernidade da gastronomia, através do grande elemento em palco “o chef anfitrião” – alicerçada nas raízes tradicionais da nossa identidade cultural.

O grande anfitrião acolhe e traz à sua mesa o melhor de cada região, abraça os ingredientes e mostra na sua “ardósia” – ledwall – a viagem/roteiro pelas mesas do país. Há ainda dois momentos de dança durante a Gala e atuações musicais. Os artistas convidados de ontem foram os HMB.

Destaque para a “Rapsódia à Mesa”, em que cinco músicos guiados pela mão de Daniel Pereira Cristo, ícone da nova música tradicional portuguesa, farão uma viajem inédita por temas bem conhecidos de todos, revestidas por arranjos com instrumentos tradicionais que têm tanto de portugalidade como de modernidade, conseguindo chegar a um público bastante transversal e eclético.

Imaginemos por exemplo no Norte do País, um medley com “Porto Sentido” de Rui Veloso, o “Porto Aqui tão Perto” de Sérgio Godinho e “Navegar Navegar” de Fausto, tudo “embrulhado” com o tom festivo dos instrumentos identitários e com arranjos musicais inéditos.

Em cada Gala existirá uma Rapsódia à Mesa com canções que são de todos e que, com esta nova abordagem, poderão ficar ainda mais nossas. Esta é a primeira vez que algo deste género acontece em palco em Portugal e na televisão portuguesa.

Nesta primeira Gala esteve presente Luis Capoulas Santos, Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, o qual no final do espetáculo felicitou “todos os participantes e de uma forma especial os vencedores pois estão a promover e divulgar o melhor que temos no nosso Portugal, fruto do saber do nosso mundo rural e do que os nossos agricultores sabem produzir com uma mestria sem igual”.

A Região de Coimbra, candidata  a “Região Europeia da Gastronomia 2021”,  tem “apenas” 3 mesas entre as 49 pré-finalistas.

São elas a Mesa Beira Serra, Góis – Centro, a Mesa da Bairrada ao Mondego, Cantanhede – Centro (que vão participar em próximas eliminatórias) e a Mesa das Terras da Chanfana, Lousã – Centro, que disputa a final.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com