Conecte-se connosco

Portugal

Televisões com emissão especial na qual não vão faltar ecrãs táteis

Publicado

em

A RTP, SIC e TVI têm preparadas emissões especiais para a cobertura das eleições legislativas, com transmissões em simultâneo na RTP1, SIC Notícias e CNN Portugal, respetivamente, e nas quais não faltarão ecrãs táteis para interpretar os resultados.

No próximo domingo, os portugueses vão escolher os deputados da Assembleia da República, de onde sairá o próximo primeiro-ministro.

“A aposta clara no domingo é na noite eleitoral, numa emissão conjunta SIC/SIC Notícias que arranca às 19:30, conduzida por Rodrigues Guedes de Carvalho, Clara de Sousa e Bento Rodrigues”, disse o diretor de informação da Impresa, Ricardo Costa, à Lusa.

“Não vamos largar a emissão na SIC generalista enquanto as coisas não estiverem esclarecidas”, asseverou, destacando que esta é a “eleição mais renhida nas últimas duas décadas”.

A SIC Notícias vai estar “todo dia em emissão especial”, arrancando às 11:30 com Rita Neves e Augusto Madeira.

Pela madrugada adentro, após serem conhecidos os dados finais, a SIC Notícias irá analisar detalhadamente os resultados “de uma noite que seguramente vai ter grandes mudanças para muitos partidos”, sublinhou Ricardo Costa.

“Temos uma aposta muito grande do ’touch screen’ (ecrã tátil). Introduzimos esse ecrã nas presidenciais de janeiro, depois foi muito utilizado com resultados excelentes nas últimas autárquicas, continuamos e afinamos essa aposta”, acrescentou.

Bento Rodrigues centralizará a operação do ecrã ’touch’. A utilização do ecrã tátil “tem corrido muito bem, quer pela análise dos resultados em tempo real, quer pelas possibilidades que essa interatividade nos dá em termos de leitura para que os telespetadores percebam com muita rapidez o que está a acontecer”, disse Ricardo Costa.

A SIC contará com a equipa de sondagens do ICS/ISCTE com trabalho de boca das urnas feita pela GFK/Metris, liderada por Pedro Magalhães e António Gomes, e com os comentadores Luís Marques Mendes, Ana Gomes, José Miguel Júdice e Francisco Louçã.

O acompanhamento será também assegurado em contínuo pelos ‘sites’ e redes da SIC Notícias, com conteúdos e comentários próprios.

A operação envolve no total “perto de 200 pessoas”, adiantou Ricardo Costa.

No caso da TVI e CNN Portugal, que também terão emissão em simultâneo, a operação envolve “quase uma centena de jornalistas”, sendo que metade estará no terreno, disse o diretor de informação da TVI, Anselmo Crespo, à Lusa.

No total, “estimo 350 profissionais do grupo, entre jornalistas, equipas operacionais, técnicas”, complementou Nuno Santos, diretor-geral da CNN Portugal.

A CNN Portugal vai estar ao longo do dia a fazer a cobertura das eleições.

A estação vai fazer “um acompanhamento não só intensivo das votações, mas também a análise possível ao longo do dia”, acrescentou Anselmo Crespo.

Entre as 16:00 e as 19:00, numa emissão apresentada por Ana Sofia Cardoso e André Neto de Oliveira, a CNN irá abrir uma edição especial dedicada às eleições, a que se segue outro momento a partir das 19:00, em que depois haverá uma transmissão em simultâneo com a TVI.

A emissão conjunta TVI/CNN conta com cinco pivôs mais o ‘Magic Wall’, o conhecido ecrã tátil da CNN, “onde queremos uma noite verdadeiramente distinta de tudo aquilo que tem sido feito em Portugal nos últimos anos ao nível de noites eleitorais”, salientou Anselmo Crespo.

Sobre o ‘Magic Wall’, explicou que este vai permitir “sobretudo contar histórias” como quais são os distritos mais decisivos, quais os que historicamente um partido ganhou mais ou os que mais elegem deputados.

Tal permite “contar uma história política em torno destes dados” e “dar valor acrescentado”, disse.

Às 20:00, além da projeção à boca das urnas, “à medida que forem saindo os resultados”, terão “uma equipa da Pitagórica na redação a trabalhar e a cruzar aquilo que são as projeções com aquilo que vão sendo os resultados reais”, o que permitirá “ir antecipando em alguns casos qual é o desfecho” nos distritos, disse.

A emissão é conduzida por José Alberto Carvalho e Judite de Sousa, sendo que Pedro Mourinho vai estar com as projeções às 20:00 e com os resultados apurados e totais.

Sara Pinto vai estar com um painel de dois comentadores, em que um deles é Pedro Santana Lopes. “Depois vamos ter uma mesa onde está o João Póvoa Marinheiro que, numa primeira fase da noite, vai contar com jornalistas de política” e, numa segunda fase, “comentadores mais associados aos partidos que possam de alguma forma ajudar a enquadrar o que vai acontecer a partir de segunda-feira em função dos resultados eleitorais”.

Anselmo Crespo destacou ainda a colaboração por parte elementos da CNN com “muita experiência” em noites eleitorais nesta operação.

Por sua vez, Nuno Santos sublinhou que esta “é uma operação que tem igual importância na televisão e no digital”.

Esta noite eleitoral “será a que reflete a disputa mais cerrada deste século”, sublinhou o diretor-geral da CNN Portugal.

No grupo RTP, a noite eleitoral pode ser acompanhada “através das emissões da RTP1, RTP3, Antena 1 e plataformas digitais da RTP”, lê-se no comunicado.

A emissão especial “tem início às 18:00, num simultâneo RTP1 e RTP3, e será conduzida por José Rodrigues dos Santos, Carlos Daniel, Ana Lourenço e João Adelino Faria”.

Ao início da noite será apresentada “a grande sondagem do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica com as primeiras projeções dos resultados eleitorais” e, ao longo da noite os resultados, análise e opinião, contarão com “a presença de dois painéis de comentadores políticos e de um painel de dirigentes de todos os partidos com representação parlamentar”.

“Na Antena 1, a emissão da noite eleitoral começa às 19:00 e será conduzida pela editora de política Natália Carvalho, que contará também com a presença dos repórteres da Antena 1 nas nove sedes dos partidos com representação parlamentar”, refere a RTP.

Para analisar as projeções e os resultados, “juntam-se à emissão o comentador Raúl Vaz, bem como diversos académicos e investigadores como Ricardo Ferreira Reis (diretor do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica), Rita Figueiras (investigadora na área de comunicação política da Universidade Católica), Susana Peralta (especialista em economia pública e professora na Nova SBE), Paula Espírito Santo (politóloga e professora do ISCSP), José Santana Pereira (professor de ciência política no ISCTE) e Sara Araújo (socióloga e investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra)”.

 

ALU // MSF

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link