Conecte-se connosco

Economia

Tábua cria Centro Logístico Municipal com um investimento de 400 mil euros

Publicado

em

A Câmara Municipal de Tábua, no distrito de Coimbra, vai criar um Centro Logístico Municipal, orçado em cerca de 400 mil euros, que terá várias competências, nomeadamente na área da proteção civil e da saúde pública.

O Centro Logístico Municipal, em Tábua, vai permitir “concentrar os serviços mais externos e ganhar eficácia e eficiência naquilo que é a ação para servir os munícipes e para melhorar a qualidade de vida dos tabuenses”, disse à agência Lusa o presidente da Câmara Municipal de Tábua, Ricardo Cruz.

Trata-se de “uma grande mais-valia, porque se ganha escala de intervenção e ganha-se ligação entre os serviços”.

O investimento inclui a remodelação do edifício e a dotação das condições inerentes aos colaboradores da Câmara, como, por exemplo, com a criação de balneários.

O Centro Logístico Municipal será composto por um gabinete destinado à saúde pública, com um espaço de apoio ao centro de recolha animal, com áreas onde serão armazenados os materiais da Câmara para as obras que são feitas por administração direta e ainda um gabinete médico e um gabinete de higiene e segurança no trabalho.

O edifício vai incluir ainda uma área de produtos fitofarmacêuticos e também um pavilhão, que inclui as viaturas do Município de Tábua, uma oficina e zonas de serralharia, carpintaria, entre outras.

O Centro Logístico Municipal vai integrar o Centro Municipal de Proteção Civil, um investimento distinto, fruto de uma candidatura a fundos comunitários, no valor de cerca de 150 mil euros.

O Centro Municipal de Proteção Civil vai incluir uma sala de operações, com painéis que monitorizam os incêndios ou intempéries, através das torres de videovigilância existentes no concelho.

O local vai merecer ainda um anfiteatro para receber escolas de modo a “apostar na prevenção e na sensibilização dos mais novos”, terá uma área destinada a uma camarata feminina e masculina, uma zona de arrumos que vai conter os materiais de intervenção às vespas velutinas, bem como um gabinete de proteção civil e da engenharia florestal para a marcação de queimadas.

O edifício para criar o Centro Logístico Municipal foi adquirido pelo Município e neste momento está numa fase de lançamento da primeira fase da obra, de remodelação, para posteriormente avançar para a segunda fase que será a restruturação do edifício.

De acordo com o autarca, a primeira fase da obra estará concluída em dezembro.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade