Conecte-se connosco

Coimbra

Tábua: Acusado de regar ex-mulher com gasolina conhece sentença na segunda-feira

Publicado

em

O Tribunal de Coimbra determina na segunda-feira a sentença a um homem de 68 anos acusado de regar a ex-companheira com gasolina e tentar queimá-la, em Tábua, pouco depois de o casal se ter separado.

O arguido, a morar no Luxemburgo, é acusado de um crime agravado de violência doméstica, um crime de homicídio qualificado na forma tentada, e três crimes de sequestro, dois dos quais contra os seus dois filhos.

Segundo a acusação a que a agência Lusa teve acesso, o arguido viveu durante 21 anos com a ofendida, a maior parte do tempo no Luxemburgo, deslocando-se com regularidade a Portugal, onde permaneciam num apartamento em Tábua.

Depois de se terem separado em setembro de 2018, quando se encontravam no Luxemburgo, a mãe da vítima adoeceu e esta marcou uma viagem para Portugal para 01 de novembro.

Na véspera, o arguido resolveu surpreender a ex-companheira e viajou também para Tábua com os filhos.

De acordo com a acusação, a 02 de novembro de 2018, o arguido encontrava-se com a ex-companheira e os dois filhos no apartamento de Tábua, quando, pelas 08:30, saiu de casa e deslocou-se a um posto de abastecimento onde comprou uma bilha de cinco litros de gasolina, regressou ao apartamento e trancou a porta de entrada, retirando a chave da fechadura.

Munindo-se de um isqueiro, encheu uma garrafa de plástico de meio litro com o combustível e deslocou-se ao quarto do casal, onde estava a ex-companheira deitada, tendo começado por despir a camisa dizendo à ofendida que precisavam de falar dois minutos, contou o Ministério Público (MP).

Com um isqueiro numa mão e a garrafa com combustível na outra, o arguido aproximou-se da vítima e ameaçou-a: “Ou fazes amor comigo ou não ficas com ninguém”.

Perante a recusa, os dois ter-se-ão envolvido numa luta corpo a corpo, acabando o combustível por ficar derramado no chão do quarto e no pijama e braço direito da mulher.

A ofendida tentou pegar no telemóvel e fugir de casa mas reparou que a porta estava trancada, tendo corrido até à varanda onde tentou ligar para o 112, mas sem sucesso, uma vez que o arguido alcançou a mulher e retirou-lhe o telemóvel das mãos, tentando parti-lo na bancada da cozinha.

No meio da confusão, a vítima conseguiu voltar à varanda e gritou por socorro e retirou o isqueiro da mão do arguido.

Entretanto, os filhos do casal acordaram, foram até à varanda e começaram também a gritar, tendo o arguido desistido de agarrar a ex-companheira, que acabou por conseguir ligar para o 112 através do telemóvel de um dos filhos.

Entretanto, duas vizinhas e uma funcionária da escola situada à frente da habitação acorreram ao local, tendo a ofendida e os dois menores conseguido sair do apartamento.

Já no Luxemburgo e depois do sucedido, o arguido voltou a ameaçar a sua ex-companheira tendo-lhe dito: “Se eu te apanhasse agora, dava-te um tiro na cabeça”, salientou o Ministério Público, no despacho de acusação.

A leitura de sentença decorre na segunda-feira, às 14:00.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com