Conecte-se connosco

Cidade

Sons da Cidade com 6 horas non-stop de música

Publicado

em

Seis horas non-stop de música no primeiro dia da celebração de Património Mundial em Coimbra. O primeiro dia do programa Sons da Cidade, com uma agenda alargada de eventos desde o início deste sábado, é marcada por vários concertos em vários espaços da cidade.

infopress_samueluria

Seis horas non-stop de música no primeiro dia da celebração de Património Mundial em Coimbra. O primeiro dia do programa Sons da Cidade, com uma agenda alargada de eventos desde o início deste sábado, é marcada por vários concertos em vários espaços da cidade.

Samuel Úria é um dos artistas convidados das dezenas de eventos a acontecer em vários pontos da cidade de Coimbra, entre 25 de junho e 4 de julho, com entrada gratuita.

Sámuel Úria é o nome artístico de Samuel Úria. A lenda em torno de si conta que nasceu e cresceu entre uma pequena cidade da Beira Alta e um par de canais públicos de televisão. Talvez devido a essa sobre-exposição televisiva lhe tenham ficado, por estigma, duas distintas marcas julio-isídricas: um considerável nariz e a fanfarronice por ter lançado a carreira musical de um jovem de nome artístico Samuel Úria. Nas suas canções, encontramos o humor castiço, a loquaz despreocupação, os blues campesinos, o grande espaço dos pequenos sítios.

O concerto é no Pátio da Inquisição, a partir das 22:30, com entrada gratuita. Antes, outros concertos que fazem parte da maratona dedicada à música, no primeiro dia dos Sons da Cidade.

Os SongBird, dão concerto nas Escadas do Quebra Costas, a partir das 18:30. Luís Figueiredo (piano) e João Hasselberg (contrabaixo) são compositores de créditos firmados e têm tido a oportunidade de liderar grupos que interpretam a música que escrevem.

Com SongBird, no entanto, é outra coisa que está em jogo.O duo escolheu interpretar temas escritos por autores como Sérgio Godinho, Chico Buarque ou George Gershwin e de se dedicar ao prazer da releitura destas “belas canções”.

A partir das 19:30, a música dos Sons da Cidade cruza-se com outras artes performativas, os “Oráculos Também Cantam” é o resultado de um laboratório de criação que dá origem a um espetáculo: as memórias, sonhos, visões e experiências que existem e persistem no corpo. Com direção artística de Gil Dionísio e Sara Ribeiro.

Às 20:00, o ponto de encontro é no Largo do Poço onde fica o Salão Brazil que, será, por estes dias, a casa de muitos dos artistas que estão em trabalho de criação para os Sons da Cidade. Sede do Jazz ao Centro Clube, a sala de concertos da Baixa de Coimbra serve de ponto de encontro para todos aqueles que circularem pelas ruas, praças e largos da Baixa nestes dias de atividade. No sábado, a partir das 20:00, há sardinhada. Mais tarde, os DJ da Rádio Universidade de Coimbra a fazem os corpos mexer.

Continuando o roteiro dos concertos, o Largo do Romal acolhe os Lavoisier num palco instalado neste espaço pelo projeto Há Baixa, promovido por estudantes do Departamento de Arquitetura e de Design e Multimédia daUniversidade de Coimbra.

O objetivo do coletivo de estudantes é o de intervir sobre uma área específica da cidade de Coimbra, a Baixa. Esta construção efémera (palco Há Baixa) acolherá atividades de índole cultural e também oficinas sobre técnicas e materiais construtivos.

A abertura do palco faz-se com o concerto dos Lavoisier, duo Roberto Afonso (guitarra) e Patrícia Relvas (voz) que, com os pés bem assentes na terra (e na tradição do cancioneiro tradicional português), não se coíbem de mergulhar noutras músicas, venham elas de onde vierem.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com