Conecte-se connosco

Coimbra

“Sismo” em Soure testa meios dos Bombeiros e da GNR (com vídeos)

Publicado

em

O exercício operacional “Soure Treme” testou esta tarde a resposta dos meios de socorro dos Bombeiros e da GNR. Uma fábrica abandonada foi o cenário escolhido para o resgate de três vítimas em estruturas colapsadas por um “sismo”.

Durante a manhã, a terra tremeu com um exercício na Escola EB 1/2 de Soure que envolveu 500 alunos, além de professores, Bombeiros, GNR e Proteção Civil. À tarde, os meios de socorro simularam que a escola tinha colapsado no edifício abandonado da antiga cerâmica Ideal Leiriense (junto à estação ferroviária de Soure) para porem a sua capacidade à prova.

Aos meios dos Bombeiros Voluntários de Soure, juntaram-se as corporações de Penela e de Peniche, além de militares da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS) da GNR. Os operacionais tiveram de responder a três situações distintas: uma viatura soterrada com uma vítima no interior, uma outra vítima que tinha caído numa vala e uma terceira numa estrutura colapsada.

“São cenários com grau de dificuldade para melhorarmos o saber fazer”, disse ao Notícias de Coimbra Carlos Luís Tavares, Comandante Distrital de Operações de Socorro (CODIS). “O treino marca a diferença, e estes meios estarão certamente mais bem preparados para uma situação real”, afirmou.

Exercícios como estes permitem “trabalhar na prevenção e preparação da resposta”, mas também “testar e demonstrar a capacidade dos meios”, acredita o CODIS.

Simulacros como estes são “fundamentais, quer pela probabilidade de ocorrência de uma situação destas, quer pela interação” que promovem entre as várias forças envolvidas, sublinha o major João Fernandes da UEPS. O responsável destaca a “interoperabilidade das diversas forças” e a agilização de procedimentos para que possam trabalhar em conjunto todo o ano.

Desta vez foi só um treino, mas o major assegura que “Portugal está bem capacitado através dos seus diferentes agentes de proteção que num sistema integrado de operações de proteção e de socorro colaboram entre si”.

 

Veja o direto NDC com o comandante Carlos Luís Tavares:

Veja o direto NDC com o major João Fernandes:

Veja o exercício em estruturas colapsadas explicado por Vítor Gomes, dos Bombeiros de Penela:

Veja o direto com o resgate de uma vítima explicado por um elemento da UEPS:

Veja o direto NDC de resgate de uma vítima de um carro soterrado, explicado pelo comandante dos Bombeiros Voluntários de Soure, João Paulo Contente:

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade