Economia

Sindicato e administração da Soporcel continuam a desempenhar o seu papel

Notícias de Coimbra | 10 anos atrás em 01-06-2014

 Os trabalhadores da Soporcel, em greve desde terça-feira, anunciaram hoje que vão manter o segundo pré-aviso de greve para vigorar entre as 00:00 de 02 de junho e as 24:00 de 05 de junho.

PUBLICIDADE

O primeiro período de greve teve início às 20:00 de terça-feira, e vai durar até meia-noite de hoje.

Vítor Abreu, da Comissão Sindical, disse à agência Lusa que, até ao momento, a administração não agendou uma reunião com os trabalhadores, pelo que a greve não será suspensa.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Ao início da tarde de sexta-feira, os trabalhadores enviaram uma proposta em que garantiam suspender a paralisação e levantar o segundo pré-aviso de greve se a administração se reunisse com eles hoje ou domingo.

PUBLICIDADE

“Ainda aguardamos uma resposta, que se chegar fará com que a greve seja suspensa”, referiu Vítor Abreu.

Num ‘e-mail’ enviado hoje à agência Lusa, a direção de comunicação do grupo Portucel Soporcel considera que, “nestas circunstâncias, é importante que os colaboradores se interroguem: tendo a Comissão Executiva assumido o compromisso de reunir brevemente com a Comissão Sindical, que argumentos existem para que a greve prossiga”.

“A administração reafirma mais uma vez a vontade real de diálogo construtivo, pelo que logo que a situação esteja normalizada disponibilizará uma data para a reunião”, lê-se no comunicado.

Os trabalhadores contestam as alterações ao fundo de pensões que, de acordo com fonte sindical, passará do sistema atual, intitulado de “benefício definido” – a empresa contribui com 8% do salário dos trabalhadores e garante o capital do fundo – para um sistema de “contribuições definidas”, em que a participação da empresa baixa para os 4% (podendo os colaboradores, voluntariamente, contribuírem com a percentagem que quiserem), mas o capital existente no fundo passa a depender das flutuações do mercado e outros aspetos.

Os trabalhadores alegam que com as novas regras vão ter um prejuízo de 40% a 60% nas pensões.

A unidade industrial da Soporcel em Lavos, que integra o grupo Portucel Soporcel, segundo maior exportador nacional em 2013, entrou em funcionamento em 1984, e desde essa data não havia registo da convocação de qualquer greve.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE