Conecte-se connosco

Região

Seia está a investir na valorização patrimonial e turística do rio Seia

Publicado

em

O município de Seia está a investir 150 mil euros em obras de valorização patrimonial e turística do rio Seia, que decorrem “em bom ritmo” e incluem um percurso pedonal e ciclável, foi hoje anunciado.

Segundo a autarquia de Seia, no distrito da Guarda, o executivo municipal visitou, na quarta-feira, os passadiços que estão a ser construídos nas margens do rio Seia, no âmbito do percurso pedonal e ciclável que está a ser implementado no local, “tendo em vista a revitalização para fruição turística”.

“A valorização patrimonial e turística da biodiversidade do rio Seia, em execução, compreende intervenções ao longo de um troço deste rio, compreendido entre a ponte romana de Folgosa do Salvador e Vila Verde”, refere a autarquia em comunicado enviado hoje à agência Lusa.

A operação é financiada em 80% pelo Programa de Desenvolvimento Rural – PDR 2020 e tem um custo total de 150 mil euros.

A intervenção ocorre depois da reabilitação dos ecossistemas ribeirinhos, promovida nas áreas afetadas pelos incêndios de outubro de 2017, no âmbito de um protocolo estabelecido entre a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e o município de Seia.

O objetivo da obra em curso é “dotar a área de intervenção numa utilização qualificada do espaço, potenciando a sua valorização paisagística, ambiental, económica e social”.

“O percurso pedonal e ciclável fará a ligação entre as diversas aldeias historicamente ligadas ao rio e terá uma extensão de 8,4 quilómetros, aproveitando grande parte dos caminhos já existentes. Onde tal não é possível, estão a ser construídos pequenos troços de passadiços e uma ponte fixa, estando também prevista a criação de um passadiço sobrelevado de madeira, com cerca de 500 metros”, explica o município de Seia.

A fonte refere, ainda, que no trajeto do rio Seia, “rico em flora e fauna e uma vegetação ripícola luxuriante, sobressaem vários pontos de interesse, como moinhos, açudes, levadas, pontes, miradouros, rebanhos e pastagens, pelo que tendo em vista uma fruição conscienciosa destes espaços, serão colocados painéis interpretativos e informativos”.

O rio Seia tem a sua nascente no Cabeço de Santo Estêvão, a cerca de 1.200 metros de altitude, corre em pequenos ribeiros em direção a Seia (na Serra da Estrela) e de Seia a Oliveira do Conde, onde vai desaguar na margem direita do rio Mondego.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link