Região

Santana Lopes não quer aeroporto no Ribatejo e entra em rota de colisão com Comunidade de Coimbra

Notícias de Coimbra | 12 meses atrás em 02-06-2023

O município da Figueira da Foz não subscreve a deliberação de apoio à localização do novo aeroporto em Santarém tomada pela Comunidade Intermunicipal (CIM) Região de Coimbra e defende que o Centro deve ter uma infraestrutura aeroportuária.

PUBLICIDADE

“Não queremos manifestar nenhuma preferência por nenhuma das nove opções, mas há uma posição de princípio: a região Centro deve ter o seu aeroporto”, disse hoje o presidente da câmara, Pedro Santana Lopes (Grupo de Cidadãos Eleitores Figueira a Primeira), numa intervenção no período antes da ordem do dia da reunião do executivo.

O autarca atribui a deliberação de apoio tomada por unanimidade pela CIM Região de Coimbra a um lapso, numa reunião em que não esteve presente, fazendo-se representar por uma vereadora.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Segundo Santana Lopes, a Figueira da Foz “não pode estar solidária com essa posição, porque não concorda com ela e já o tinha manifestado em reuniões anteriores”.

PUBLICIDADE

“Santarém fica à mesma distância do Porto. Compreendo que a CIM Região de Coimbra queira o aeroporto que seja mais próximo de Coimbra ou da capital da região Centro, mas isso acho que não beneficia a região Centro”, sublinhou.

Para o presidente da Câmara da Figueira da Foz, que continua a defender a instalação de um aeroporto na base aérea de Monte Real, é importante a região Centro ter o seu aeroporto, como Lisboa tem o seu, que é internacional, e o Norte tem o do Porto.

“Defendo um aeroporto na região Centro e gostava que funcionasse em Monte Real. A região não precisa de um aeroporto em Santarém, que não é bem no Centro”, frisou.

Salientando que não será contra Santarém se essa for a localização escolhida, o antigo primeiro-ministro referiu que a Figueira da Foz não quer “pronunciar-se a favor”.

O autarca lamentou que a decisão tomada pela CIM Região de Coimbra não tivesse sido alvo de preparação prévia “entre todos, refletida e ponderada”.

“Não estou a censurar, só estou a dizer que não podemos subscrever”, sublinhou.

Na semana passada, a CIM Região de Coimbra anunciou que foi deliberado, por unanimidade, apoiar a localização do novo aeroporto na capital do Ribatejo.

Em comunicado, a estrutura referiu que os autarcas da Região de Coimbra consideraram que se trata de uma localização “estratégica” que servirá o país e a região Centro, promovendo o “desenvolvimento e potenciando o aumento do turismo, a oferta de emprego, expansão de negócios, entre outros”.

“Trata-se de uma localização diferenciada, mais próxima da Região de Coimbra e que apresenta soluções perfeitamente exequíveis para uma utilização confortável e eficiente pela população de todo o país”, disse, citado na mesma nota, o presidente do Conselho Intermunicipal da CIM Região de Coimbra, Emílio Torrão.

Hoje foi anunciado que os autarcas da Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra deliberaram, por unanimidade, apoiar a localização do novo aeroporto em Santarém.

A localização do novo aeroporto neste local foi uma das áreas escolhidas, no âmbito da avaliação ambiental estratégica do futuro aeroporto, segundo uma resolução do Conselho de Ministros.

Os autarcas da Região de Coimbra referem que se trata de uma localização “estratégica” que servirá o país e a região Centro, promovendo o “desenvolvimento e potenciando o aumento do turismo, a oferta de emprego, expansão de negócios, entre outros”, sublinha a CIM numa nota de impressa enviada à agência Lusa.

Integram da CIM Região de Coimbra os municípios de Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Lousã, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Soure, Tábua e Vila Nova de Poiares, do distrito de Coimbra, e Mealhada e Mortágua, dos distritos de Aveiro e de Viseu, respetivamente.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE