Conecte-se connosco

Economia

Sabe a quanto está a botija de gás? (com vídeos)

Publicado

em

As botijas de gás butano e de gás propano já aumentaram quase 17% desde que o preço deixou de ser regulado há nove meses. O Jornal de Notícias desta quarta-feira dá conta que o aumento supera mais de cinco vezes a inflação de 2021 e ultrapassa até a média total dos produtos energéticos (11,18% em dezembro). Diz também que a garrafa custa mais de 29 euros. O Notícias de Coimbra foi comprar gás e, em Coimbra e Condeixa, o mais barato que encontrou custa quase 32 euros a garrafa. 

“Os clientes queixam-se que o gás está muito caro. Uma vergonha”, disse ao NDC Elsa Santos, funcionária no Supermercado Simões, em Condeixa-a-Nova, que vende gás da Galp  (33,9€ butano e propano a 31,6€) e Rubis (33,20 e 30,90, respetivamente).

“Se fosse mais perto iam buscar a Espanha que é muito mais barato”, remata a lojista. Na verdade, segundo o JN, as botijas portuguesas “são vendidas quase ao dobro das espanholas”. O Estado espanhol regula os preços a cada três meses, mas apesar de um aumento de 5% face a novembro e dezembro de 2021, uma botija de butano, com 12,5 kg está a custar 17,75 euros e a de propano com 11 kg custa 15,6 euros, já com IVA. 

Por cá, o preço do GPL foi regulado durante a pandemia em duas fases – de 20 a 30 de abril de 2020 e, no ano passado, de 18 de janeiro a 30 de abril. Entre o final do último período e 31 de janeiro deste ano, o preço das botijas subiu mais de quatro euros. Segundo dados da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), citados pelo JN, no final de janeiro, a botija de gás butano de 13 kg estava a custar 29,22 euros e a de gás propano, de 11 kg, custava 29,23.

Cristiano Ferreira, proprietário do estabelecimento Charrua Dourada, que comercializa gás e artigos para a agricultura também em Condeixa, garante que “desde 2019 houve uma  subida de cerca de 7 euros” na garrafa. “Nos últimos tempos os aumentos têm sido de mês a mês e a subida é de dois a três euros em botija”, adianta.

O comerciante revela que os “clientes acham um bocado abusivo, e quando ouvimos notícias que em Espanha o gás e os combustíveis são muito mais baratos, ainda mais admirados ficam”. 

“As pessoas denunciam a carga excessiva dos impostos” em Portugal, conclui Cristiano Ferreira que vende a garrafa (Rubis) a 33,2€.

As queixas dos clientes são ouvidas diariamente também na Coimbragás embora “muitos digam que já estavam à espera”. A garrafa de gás butano aumentou no dia 4 deste mês para 33,90€, no entanto se for entregue em casa fica a 35,40. A bilha de gás propano está a 31,60€, levando a casa é 33,10€.

Já na GazMondego, também em Coimbra, uma garrafa de butano está hoje nos 33,90€ e a de propano 31,60€. Desde o início do mês o aumento foi de 1,5€.” As pessoas reclamam, mas têm de comprar, a vida está toda muito cara. Aumentando o gasóleo aumenta tudo”, disse uma fonte da empresa ouvida pelo NDC. 

Quem comprou uma botija de gás butano de 13 kg, esta quarta-feira, a mesma custou cerca de 33,50 euros, já a propano ronda os 31 euros.
Nunca as famílias portuguesas pagaram tanto pelo gás engarrafado que consomem nas suas casas, sendo que em lares com famílias numerosas uma única botija não chega a durar um mês, pesando assim ainda mais no orçamento.

Veja o direto NDC com Cristiano Ferreira:

Veja o direto NDC com Elsa Santos:

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link