Coimbra

Ruy de Carvalho no arranque do Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede

Notícias de Coimbra | 8 anos atrás em 11-02-2016

É grande a expetativa com que está a ser aguardado o início do XVIII Ciclo de Teatro Amador do Concelho de Cantanhede.

PUBLICIDADE

RUY DE CARVALHO

Este programa de dinamização da atividade teatral que a Câmara Municipal tem vindo a promover ininterruptamente desde há 18 anos começa já no próximo sábado, 13 de fevereiro, desta vez com o grande aliciante de contar com a participação de Ruy de Carvalho, às 15h30.

PUBLICIDADE

O ator virá ao Auditório da Biblioteca Municipal de Cantanhede falar de questões relacionados com a função cultural e social do teatro, tendo como ponto de partida a passagem pelos grandes palcos durante a sua longa e multifacetada carreira.

Reconhecido pelo público, pela crítica e pelos seus pares como a grande referência da arte da representação em Portugal, Ruy de Carvalho dará testemunho das suas experiências numa abordagem aos aspetos mais relevantes da evolução do teatro no país, sem esquecer a intensa atividade que tem desenvolvido sobretudo na televisão e também no cinema.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

É a visão privilegiada de quem tem mais de seis décadas como ator profissional (iniciou-se em 1947, cinco anos depois das primeiras incursões como amador) que os intervenientes do XVIII Ciclo de Teatro Amador de Cantanhede vão ter oportunidade de conhecer no arranque deste evento que conta este ano com a participação de doze grupos cénicos no seio de coletividades onde nesta altura está a ser ultimada a encenação e montagem dos espetáculos que serão levados a cena durante cerca de dois meses.

Dia 13 de fevereiro de 2016, às 21h30 – Espetáculos em Cordinhã e Casal de Cadima

Na sequência da sessão de abertura com a palestra de Ruy de Carvalho, no próximo sábado, 13 de fevereiro, a partir das 15h30, no auditório da Biblioteca Municipal, o XVIII Ciclo de Teatro Amador do Concelho de Cantanhede começa à noite com dois espetáculos, um em Cordinhã, outro em Casal de Cadima, ambos com início às 21h30.

O Cordinha d’Água – Grupo de Teatro do Rancho Folclórico Os Lavradores de Cordinhã sobe ao palco da Associação de Instrução e Recreio de Cordinhã para apresentar “O Príncipe dos Mares”, da autoria de Manuel Tomé, uma peça sobre o amor de infância entre João, o Príncipe dos Mares, e Inês. Mas o enredo extravasa a dimensão lírica ao evoluir para a disputa e ocupação de terras numa zona piscatória, com uma abordagem que comporta o reconhecimento da importância do mar para a comunidade face à atratividade urbanística e turística que desperta em alguns investidores. A sinopse refere que se trata de “um drama cheio de emoções, suspenso, humor, paixão e ação, numa homenagem aos pescadores e ao verdadeiro Príncipe dos Mares: “O Golfinho”.

À mesma hora, na sede da Associação Cultural e Desportiva do Casal, o Grupo de Teatro desta associação inicia a sua participação no ciclo de teatro com um drama e duas sátiras com textos de Manuel da Silva Barreto.

Em “Vida ou Morte, Uma Questão de Consciência”, a questão do aborto é abordada através do confronto de ideias entre os defensores do seu enquadramento legal e dos que se lhe opõem, numa dialética fundada na razão e na consciência de quem defende uma e outra posição.

“Um Falso Confessor” explora a astúcia de um indivíduo que, para saber quem são as mulheres que fazem favores, de que é parte interessada, se faz passar por padre. Mas as coisas terminam mal quando aparece para se confessar um outro prelado, cuja confissão gera divertidos.

“Vamos Cortar na Casaca: Versão 2016” tem como protagonista um comentador político que se sujeita a responder a todas as perguntas que lhe são feitas por um grupo alargado de jornalistas. As perguntas e respostas revestem-se de uma espiritualidade mordaz sobre a atual situação política e social do país.

 

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE