Conecte-se connosco

Coimbra

Rua do Futuro aberta ao trânsito automóvel cria “nova centralidade” em Almalaguês

Publicado

em

A Rua do Futuro foi hoje aberta ao trânsito automóvel depois da obra de construção ter sido concluída. Sem cerimónia de inauguração, devido ao período eleitoral, o presidente da Câmara Municipal (CM) de Coimbra, Manuel Machado, deslocou-se ao local acompanhado pelo presidente da Junta de Freguesia de Almalaguês, António Coelho, e os serviços municipais para assinalar o momento. A empreitada representou um investimento superior a 220 mil euros e vai permitir resolver vários constrangimentos à circulação automóvel, criando novas acessibilidades para o interior da localidade e facilitando o acesso à Casa Mortuária, às instalações do Instituto de Almalaguês, às povoações de Rio de Galinhas e de Monforte e ao nó de acesso à A13. “Estamos a criar uma nova centralidade para Almalaguês”, destacou Manuel Machado.

A Câmara de Coimbra conclui a Rua do Futuro (Variante Poente) em Almalaguês, que abriu hoje ao trânsito automóvel. Uma importante via de ligação na freguesia, que representou um investimento municipal de 223.606,69 euros (IVA incluído). Esta obra vai permitir resolver alguns constrangimentos à circulação automóvel que se fazem sentir nesta povoação, que tem uma estrutura urbana muito restritiva por ser um aglomerado bastante antigo que se foi consolidando ao longo de arruamentos estreitos.

Manuel Machado, ladeado pelo presidente da Junta de Freguesia, António Coelho, e pelos serviços municipais destacou que esta uma obra vai “criar uma nova centralidade para Almalaguês”.

A concretização da Rua do Futuro vai ajudar ao escoamento do trânsito automóvel do interior da localidade, facilitando o acesso à Casa Mortuária, às instalações do Instituto de Almalaguês, às povoações de Rio de Galinhas e de Monforte e ao nó de acesso à A13. Embora parte do arruamento já estivesse concluído, nunca tinha sido possível concretizar a sua ligação à Rua da Estrada Nova, mesmo em frente à sede da Junta de Freguesia, pela dificuldade de aquisição dos terrenos. Esses constrangimentos foram ultrapassados recentemente, os proprietários aceitaram vender as respetivas parcelas, a autarquia adquiriu os terrenos por cerca de 13.000 euros, elaborou um projeto de execução, lançou o concurso público e a obra está agora concluída.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade