Conecte-se connosco

Coimbra

RTP comete “gaffe” e “promove” Canção de Coimbra a bem imaterial da UNESCO

Publicado

em

A RTP fez a transmissão da Monumental Serenata da Queima das Fitas, mas uma “gaffe” cometida pelo apresentador Hélder Reis levantou uma questão antiga, sobretudo entre os músicos da cidade. 
“A Canção de Coimbra é bem imaterial da UNESCO desde 2013”, disse Hélder Reis, que estava a fazer a narração, no final da emissão. “Peço a quem de direito um esclarecimento urgente”, escreveu numa publicação nas redes sociais o músico de Coimbra Manuel Portugal, após ouvir estas palavras.
“Infelizmente, desde a classificação da Universidade, Alta e Sofia, a cidade tem mostrado sinais de andar enganada a este respeito. Que eu saiba, nem a Canção de Coimbra nem a Guitarra de Coimbra foram alvo de qualquer processo de classificação pela UNESCO como Património Imaterial da Humanidade”, lê-se numa publicação remetida por Manuel Portugal ao Notícias de Coimbra.
“Convenhamos que fica um pouco estranho ter em atividade uma série de músicos e pessoas que defendem a necessidade de se criar uma comissão que avalie o património musical de Coimbra e uma eventual candidatura, para, depois, sempre que dá jeito, se divulgarem publicamente informações erradas como esta”, sublinh o filho de António Portugal, referência da Canção de Coimbra.
“Gostaria que a Secção de Fado da Associação Académica, em conjunto com a Reitoria da Universidade e a Câmara Municipal de Coimbra esclarecessem devidamente a cidade e o país sobre esta questão. Julgo que é tempo de tratarmos este assunto com a maior das seriedades e faço um desafio a todos os interessados para que seja tornada pública um posição coletiva”, apela.
A interpelação mereceu uma resposta do presidente da Câmara Municipal de Coimbra. “Essa iniciativa faz parte das nossas intenções e do nosso programa”, escreveu José Manuel Silva. De facto, no ponto 41 do programa da coligação Juntos Somos Coimbra pode ler-se “criar um programa de promoção regional, nacional e internacional do Fado de Coimbra, enquanto marca diferenciadora de Coimbra, que crie condições para uma futura candidatura à UNESCO a Património Cultural Imaterial da Humanidade”.
Ao Notícias de Coimbra, Manuel Portugal disse que “esta confusão” é algo que “acontece frequentemente”, mas que urge esclarecer. Há, na candidatura da  “Universidade de Coimbra, Alta e Sofia” a Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, “referências de enquadramento”, explica o músico, referindo que ele próprio chegou a ter dúvidas quando foi confirmada a classificação e que, por isso, consultou várias pessoas que estiveram envolvidas no processo. “A música, assim como as Repúblicas, reforça a candidatura mas não foi classificada”, frisa.
Manuel Portugal defende a criação de “uma equipa de trabalho” para abordar esta questão e preparar uma candidatura. Até lá, afirma, quer que a cidade seja esclarecida.
Além desta “gaffe” que fez soar as vozes da canção de Coimbra, a RTP também identificou a Monumental Serenata da Queima das Fitas como “Monumental Serenata do Fado de Coimbra” durante toda a transmissão.
Veja ou reveja a Serenata: 
https://www.noticiasdecoimbra.pt/veja-ou-reveja-o-video-da-serenata-muito-monumental-na-se-nova-de-coimbra/

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link