Coimbra

Réveillon: Câmara de Coimbra paga por uma actuação o valor que o DJ costuma receber em 4!

Notícias de Coimbra | 9 anos atrás em 24-12-2015

| INVESTIGAÇÃO NDC | 

PUBLICIDADE

Notícias de Coimbra disponibiliza de documentos onde se poder ler que um dos artistas contratados por ajuste directo para actuar no fim de ano cobra mais para esta actuação do que costuma auferir em 4.

Com efeito, o DJ DIEGO MIRANDA prepara-se para receber 24 442, 56 Euros (VINTE E QUATRO MIL QUATROCENTOS E QUARENTA E DOIS EUROS E CINQUENTA E SEIS CÊNTIMOS) para tocar durante 90 minutos em Coimbra, valor 400% superior ao que foi pago por outras autarquias, como as de Lisboa, Almada, Alcácer do Sal ou Almodôvar,  com quem celebrou contratos entre os 5000 e os 7 000 Euros – IVA.

PUBLICIDADE

O município de Coimbra suporta ainda todas as despesas com deslocação, alimentação e alojamento do artistas e seus acompanhantes. O montante relativo ao material necessário para a actuação também será custeado pela autarquia. Tudo somado, são mais uns milhares de euros a somar aos 24 442,50 Euros

Diego Miranda, que vai actuar no Largo da Portagem por volta das 23:30, segue depois para Vizela, onde vai apresentar o seu set na discoteca Eskada.

A Câmara Municipal de Coimbra também contratou os CLàpara actuarem essa noite na Praça do Comércio, mas o cachet do grupo é mais modesto. Vão levar 12 996 Euros + IVA, valores idênticos aos que cobrou recentemente em Ponte de Lima ou no Porto.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Mesmo tendo em conta que alguns artistas inflacionam o seu valor em épocas especiais, agentes de espectáculos contactados por NDC consideram o valor a pagar a Diego Miranda “anormalmente alto”. Acrescentam que este montante dava para pagar a um DJ dos primeiros lugares do top internacional, o que traria outro tipo de retorno mediático.

Estes promotores, que solicitaram o anonimato, salientam que nenhuma discoteca pagaria um valor destes para uma actuação. Recordam que “já lá vai o tempo em que os profissionais da música se podiam dar ao luxo de cobrar o que entendiam”, pois, devido à crise, os preços praticados actualmente são inferiores aos da última década e “a maioria está a receber metade do que recebia”. Concluem que este argumento não é válido, dando mesmo o exemplo dos Clã, que “apesar de terem mais notoriedade do que Diego Miranda, vão usufruir um cachet considerado normal”.

Recordamos que o programa das festas de passagem de ano 2015/16 foi anunciado no dia 23 de novembro,  na Câmara Municipal de Coimbra, por Manuel Machado (Presidente da Câmara), Carina Gomes e Carlos Cidade (Vereadores), mas nessa altura não foi especificado o valor a pagar aos animadores da festa de passagem de ano.

Para além dos Clã e de Diego Miranda, actuam o DJ Francisco Cunha (Portagem), banda Kremlin (Comércio) e o colectivo Revival Night (8 de Maio). As entradas são grátis.

O Réveillon de Coimbra conta ainda com 9 minutos de fogo de artificio, estimando-se que a autarquia vá gastar pouco mais de 100 000 Euros nestes festejos,  que denominou Luzes de Natal sobre a Baixa de Coimbra.

Com estas iniciativas, que terão, maioritariamente, lugar no centro da cidade (Praça do Comércio, Praça 8 de Maio e  Largo da Portagem), Manuel Machado pretende fazer uma “sociabilização do espaço património mundial da humanidade”.

 

b

A

 

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE