Relação de Coimbra confirma condenação por corrupção e casamentos de conveniência

Notícias de Coimbra | 7 anos atrás em 25-05-2017

 

PUBLICIDADE

O Tribunal da Relação de Coimbra confirmou os quatro anos de prisão, com pena suspensa sujeita a regime de prova, a que funcionária de uma conservatória do registo civil havia sido condenada em primeira instância.

PUBLICIDADE

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

Numa investigação conduzida pelo SEF, iniciada na zona de Coimbra  que depois se estendeu a outras zonas do país , designadamente zona norte, e  associada a redes de promoção de casamentos de conveniência entre cidadãs nacionais e cidadãos estrangeiros essencialmente oriundos da península indostânica, o elevado número de arguidos, suspeitos e a complexidade do inquérito obrigou à sua separação em vários processos.

PUBLICIDADE

publicidade

Foi dado como provado que a cidadã, que na altura desempenhava funções numa Conservatória do Registo Civil do Porto e cuja condenação a Relação agora confirmou, negando provimento ao recurso apresentado, colaborou ativamente na realização de casamentos fictícios, a troco de quantias monetárias.

Também ficou provado e confirmado que o único objetivo desses casamentos consistia em, através deste instituto legal fornecer meios para que os cidadãos estrangeiros, em situação ilegal em Portugal  pudessem requerer a respetiva regularização  documental e posteriormente a nacionalidade portuguesa. Foi então condenada ao cúmulo jurídico e quatro anos, pela prática dos crimes de corrupção para ato ilícito e casamento de conveniência  na forma continuada.

PUBLICIDADE

Neste mesmo processo uma outra cidadã portuguesa foi condenada a um ano e seis meses de prisão, suspensa mediante sujeição a regime de prova, pelo crime de casamento de conveniência.

As investigações do SEF permitiram o conhecimento de um grupo organizado de cidadãos nacionais e estrangeiros que, em várias zonas do país, aliciavam, a troco de quantias monetárias, cidadãs portuguesas claramente fragilizadas do ponto de vista sócio/económico, no caso concreto com a cumplicidade de funcionário da Conservatória, levando-as a contraírem matrimónio com indivíduos que, muitas das vezes, apenas conheciam no  dia do casamento.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com