Conecte-se connosco

Mundo

Reino Unido aumenta nível de alerta sobre terrorismo

Publicado

em

O nível de alerta para o terrorismo no Reino Unido subiu na sequência do ataque bombista registado no domingo em Liverpool, indicando que outros ataques são altamente prováveis, anunciaram as autoridades britânicas. 

O grau de risco passou assim de “substancial” para “grave”, o segundo numa escala de cinco, decidiu o Centro de Análise de Terrorismo Conjunto, organismo formado por elementos da polícia, serviços de informação e governo.

A decisão teve em conta outros dois incidentes terroristas no mês passado, “refletindo a natureza diversa, complexa e volátil da ameaça terrorista no Reino Unido”, indica um comunicado.

A ministra do Interior, Priti Patel, urgiu a população para se manter alerta, “mas não alarmada”, pedindo que passem informações sobre atividades suspeitas à polícia.

O nível de alerta tinha sido reduzido em fevereiro para “substancial”.

A polícia britânica confirmou hoje ter classificado como um incidente terrorista a explosão no domingo de um táxi causada por um engenho explosivo improvisado e que matou uma pessoa, mas o motivo ainda não é claro.

O chefe da Polícia de Contraterrorismo no noroeste de Inglaterra, Russ Jackson, indicou que a explosão junto ao hospital Liverpool Women’s Hospital foi causada pela “deflagração de um engenho explosivo” que foi trazido para dentro do veículo por um passageiro.

O passageiro morreu na explosão e no incêndio que se seguiu e o taxista ficou ferido.

Jackson disse que “as investigações agora vão continuar a procurar perceber como foi o dispositivo construído, a motivação para o incidente e se alguém mais esteve envolvido”.

Três homens na casa dos 20 anos foram detidos na cidade sob a Lei do Terrorismo no domingo e um quarto suspeito foi detido na segunda-feira, adiantou o responsável.

A explosão aconteceu pouco antes das 11:00, quando se celebrou o Remembrance Sunday, dia dedicado à memória dos soldados mortos em serviço em conflitos, incluindo nas missões mais recentes no Iraque e Afeganistão.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link