Conecte-se connosco

Regiões de Turismo esperam que não haja impacto negativo

Publicado

em

A Associação Nacional de Turismo (ANT) espera que os incêndios no centro do país, que provocaram mais de 60 mortos, não tenham um impacto negativo na área turística.

BARRAGEM_DO_CABRIL_2

“Esperemos que não tenha uma imagem negativa no contexto do Turismo”, afirmou à agência Lusa, o presidente da ANT, Desidério Silva.

Representando as entidades regionais de Turismo, o responsável referiu que eventuais imagens negativas do país devem ser contrariadas.

“É evidente que sentimos que muitas vezes estas imagens passam de uma forma negativa para o exterior. É preciso combater e contrariar isso e temos esperança de que o país não terá nenhuma situação negativa em termos do Turismo, por esses fatores, que podem acontecer em qualquer parte do mundo”, referiu.

O responsável deixou ainda uma “mensagem de solidariedade, de respeito e de consideração”, enumerando as famílias de luto, a região, “todos os agentes que estão no terreno e quem está de uma forma, ou de outra, a tentar minimizar o impacto”.

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, e que foi dado como dominado na tarde de hoje provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos.

O fogo começou em Escalos Fundeiros, e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

Este incêndio já consumiu cerca de 30.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

No município de Góis, onde as chamas também deflagraram no sábado, há o registo de 18 feridos ligeiros.

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade