Conecte-se connosco

Coimbra

Região de Coimbra “alinhada” com objetivos europeus de combate às alterações climáticas

Publicado

em

 A Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM/RC), uma das oito regiões portuguesas escolhidas hoje na União Europeia para combater as alterações climáticas, manifestou-se “alinhada” com os objetivos do Pacto Ecológico Europeu.

Em declarações à agência Lusa, o secretário executivo da CIM/RC, Jorge Brito, afirmou que a Região de Coimbra “está alinhada com os objetivos do Pacto Ecológico Europeu e empenhada em adaptar estes desafios” à sua realidade territorial.

A Comissão Europeia anunciou hoje as primeiras 118 regiões e autoridades locais que participarão na Missão da UE para a Adaptação às Alterações Climáticas, a chamada Missão de Adaptação, que apoiará o Pacto Ecológico Europeu e a Estratégia da UE para a Adaptação às Alterações Climáticas.

Segundo a informação divulgada pelo executivo comunitário, das 118 regiões e municípios escolhidos para implementar projetos de adaptação às alterações climáticas, que mobilizam 370 milhões de euros até 2023, oito são portuguesas.

Para além da Região de Coimbra, a lista inclui o Cávado, Área Metropolitana de Lisboa, Médio Tejo, Vila Pouca de Aguiar, Fundão, Mafra e Cascais.

“O compromisso da Região de Coimbra com este programa é um sinal do reconhecimento do trabalho que temos vindo a realizar”, adiantou Jorge Brito, aludindo ao plano intermunicipal de adaptação às alterações climáticas já existente no território da CIM/RC.

“A CIM Região de Coimbra foi das primeiras regiões do país a criar e implementar um plano intermunicipal de adaptação às alterações climáticas, sendo que deste instrumento já implementamos mais de 10 milhões de euros em ações e projetos”, frisou.

Jorge Brito enfatizou ainda o “compromisso” da Região de Coimbra para com o “objetivo explícito no desafio da Comissão Europeia” relacionado com as cidades e regiões “neutras do ponto de vista carbónico”.

Está previsto que o projeto europeu apoie pelo menos 150 regiões e comunidades na aceleração da sua transformação para a resiliência climática até 2030, ajudando as autoridades locais a compreender, preparar e gerir os riscos climáticos, bem como a desenvolver soluções inovadoras.

Além das 118 regiões e autoridades locais, estão em causa 17 empresas privadas, centros de serviços, redes de investigação e grupos de ação local ativos na melhoria da resiliência climática, que também irão subscrever o projeto para o apoiar.

A Missão da UE para a Adaptação às Alterações Climáticas receberá um total de 370 milhões de euros de financiamento do programa de investigação e inovação da UE, o Horizonte Europe, até 2023.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade