Conecte-se connosco

Destaque

Região Centro com Rt de 1.05. Lisboa é a única região do país inferior a 1.

Publicado

em

Lisboa e Vale do Tejo é a única região do país que apresenta um índice médio de transmissibilidade (Rt) do vírus SARS-Cov2 abaixo de 1, o que indica um “aumento da incidência” da covid-19, anunciou hoje o INSA.

De acordo com o relatório do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) sobre a evolução do número de casos de covid-19 em Portugal, os resultados deste indicador “indicam uma tendência crescente de novos casos a nível nacional e em todas as regiões, à exceção de Lisboa e Vale do Tejo”.

De acordo com os dados hoje divulgados, o Rt – que se refere ao número de casos secundários de covid-19 resultantes de uma pessoa infetada – está acima de 1 a nível nacional há 15 dias, tendo variado entre os 1,01 e os 1,08 nesse período, estando atualmente nos 1,05.

Por regiões, o INSA adiantou ainda que foi estimado um Rt de 1,11 para o Norte, de 1,05 para o Centro, de 0,96 para Lisboa e Vale do Tejo, de 1,13 para o Alentejo, de 1,07 para o Algarve, de 1,41 para os Açores e de 1,22 para a Madeira.

O relatório refere também que todas as regiões do continente, com exceção do Algarve, apresentam uma taxa de incidência acumulada de novos casos da doença abaixo ou igual a 120 casos por 100 mil habitantes.

Neste indicador, o Norte apresenta uma taxa de 64,9, o Centro de 49,9, Lisboa e Vale do Tejo de 69,8, o Alentejo de 84,9, o Algarve de 131,4, os Açores de 148,7 e a Madeira de 169,9.

Estes indicadores – o índice de transmissibilidade do vírus e a taxa de incidência de novos casos de covid-19 – são os dois critérios definidos pelo Governo para a avaliação continua que está a ser feita do processo de desconfinamento que se iniciou a 15 de março e que prossegue segunda-feira com a terceira de quatro fases na generalidade do território continental.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, reconheceu que o Rt teve uma evolução negativa desde o início do processo de desconfinamento, em março, e que se aproxima do “lado perigoso” da matriz de avaliação.

“O ritmo de transmissão, infelizmente, não tem tido uma boa evolução. Tínhamos um R de 0,78 em 09 de março e hoje [quinta-feira] estamos em 1,05. Estamos a dirigir-nos para o lado perigoso desta matriz”, afirmou António Costa em conferência de imprensa após o Conselho de Ministros que decidiu o avanço para a próxima fase do desconfinamento.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.987.891 mortos no mundo, resultantes de mais de 139 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.937 pessoas dos 829.911 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com