Conecte-se connosco

Cidade

Refrigerantes e Canções de Amor no Mosteiro de Santa Clara-a-Nova

Publicado

em

A organização do Caminhos Film Festival surpreendeu a cidade ao marcar a sessão de abertura para um local improvável.

Pedro Machado - Presidente da Turismo do Centro e Vitor Ferreira.- Director do Caminhos Film Festival

Pedro Machado – Presidente da Turismo do Centro e Vítor Ferreira.- Director do Caminhos Film Festival

O espaço do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, que o Governo quer vender a quem ali quiser construir um hotel, acolheu a cerimónia de abertura do Caminhos Film Festival.

Ao entrarem no “quartel”, os convidados foram presenteados com um “Porto de Honra”, sendo depois encaminhados para uma tenda com uma magnifica vista sobre a margem direita de Coimbra, onde decorreu a sessão inaugural, que teve como pontos altos o discurso do director do festival e a exibição do filme Refrigerantes e Canções de Amor 

img_8875

Vítor Ferreira, Director do Caminhos Film Festival, declarou que a escolha do Mosteiro de Santa Clara a Nova simboliza “uma marca da união entre o nosso festival e a história cultural da cidade de Coimbra”.

O trilho percorrido nestes Caminhos deixou de ser percorrido apenas pela projecção de filmes.

Salientou Vitor Fereira ao declarar que é o evento é “Importante para a difusão do conhecimento cinematográfico nacional”, pelos curso de iniciação ao cinema (Cinemalogia), que realça a conotação científica e académica do festival.

O director do Caminhos Film Festival lembrou ainda que os “Os obstáculos apresentados muitas vezes pela cidade de Coimbra, conseguiram este ano ser ultrapassados pela abertura da cidade de Leiria ao nosso festival. Quero salientar este apoio, por Leiria representar este ano a concretização da nossa expansão como festival, tendo sido incrível (e para nós novo em comparação a Coimbra) toda a disponibilidade e carinho que Leiria nos transmitiu”.

Como director do único festival dedicado em exclusivo ao filme português, tenho a convicção sincera de que esta será mais uma edição em que iremos ver o cinema celebrado, numa junção perfeita entre aquele que vê e aquele que cria…. Aquele que aprecia e aquele que quer apreciar.

Refrigerantes e Canções de Amor é um divertida comédia romântica realizada por  Luis Galvão Teles, com argumento de Nuno Markl.

Conta com a participação de Ivo Canelas, Victoria Guerra, Lucia Moniz, João Tempera, Ruy de Carvalho, André Nunes, Gregório Duvivier, Marco Delgado, Sérgio Godinho e Jorge Palma.

Refrigerantes e Canções de Amor é a história de Lucas Mateus, é um músico que passou ao lado de uma carreira promissora, ao contrário do seu antigo parceiro de banda, Pedro Capelo, um dos artistas pop mais bem sucedidos do país. Quando, por cima disso, a namorada de Lucas, Carla, o troca por Pedro, o mundo de Lucas desaba… pelo menos até encontrar, no supermercado, uma misteriosa rapariga que vive dentro do fato de mascote da empresa de refrigerantes para que trabalha: um dinossauro cor-de-rosa, por quem se apaixona sem fazer a mínima ideia de como ela é.

 

img_8880

Nesta sessão de abertura no Mosteiro de Santa Clara-a-Nova acolheu ainda a  estreia da curta-metragem, produzida no curso de cinema ‘Cinemalogia’, Banho de Paragem cuja realização foi coordenada por Nuno Rocha e #Lingo, uma animação de Vicente Niro e a longa-metragem Refrigerantes e Canções de Amor de Luís Galvão Teles (argumento de Nuno Markl).

A XXII edição decorre até ao dia 26 de Novembro nas cidades de Coimbra e Leiria, no Teatro Académico de Gil Vicente, Teatro Miguel Franco e Teatro José Lúcio Silva respectivamente e incluem sete secções distintas: a Seleção Caminhos, a Seleção Ensaios, os Caminhos Mundiais dedicados ao Cinema Catalão, os Caminhos Juniores e Seniores e por fim, as Reposições.

Dos 417 filmes inscritos foram selecionados 135 filmes e 13 foram convidados. O cinema português está obviamente em maioria, representado com 78 filmes, no entanto o festival conta com a participação de 32 países, sendo a Catalunha a segunda nação mais representada com 9 filmes convidados seguindo-se de outros países com representações significativas, como a Alemanha (7), EUA (7), Brasil (5), França (4), Irão e Singapura com 3.

img_8876

Só a selecção principal do festival, a Caminhos, contempla 50 filmes em competição distribuídos por 16 sessões num total de 33h de bom cinema.

Selecção Caminhos, representa as principais obras produzidas no último ano em Portugal e contempla os principais prémios do festival, onde se destacam as obras em estreia nacional, Zeus de Paulo Filipe Monteiro e Eldorado de Rui Eduardo Abreu, Thierry Besseling e Loïc Tanson, bem como as consagradas Cartas de Guerra de Ivo M. Ferreira, Ascenção de Pedro Peralta, Balada de um Batráquiode Leonor Teles, A um Mar de Distância de Pedro Magano, entre muitas outras obras representativas do bom cinema que se faz em Portugal.

Para além da secção principal, o festival apresenta ainda a Selecção Ensaios (nacionais e internacionais), que contempla filmes produzidos em contexto académico pelos criadores de amanhã, apresentando-se como uma oportunidade única para assistir e comparar o cinema que se produz nas academias nacionais e internacionais.

De entre os 247 filmes propostos foram aceites 77, sendo 33 deles da responsabilidade de escolas ou alunos portugueses e 44 das demais academias internacionais. Os filmes da Selecção Ensaios serão exibidos na cidade de Leiria no Teatro Miguel Franco e no m|i|imo – Museu da imagem em movimento, mas há a possibilidade de também assistir alguns destes títulos nas reposições organizadas pelo festival.

Este ano, destacam-se nesta secção, obras como A instalação do medo de Ricardo Leite baseado na obra de Rui Zink que conta no elenco com os actores Margarida Moreira, Nuno Janeiro e Cândido Ferreira. O amor é lindoporque sim! de Vicente Alves do Ó e Ivan Coletti, conta com a participação de alunos da Escola de Actores (ACT), e nomes consagrados como Inês Patrício, Maria Rueff, João Maria, Carolina Serrão, Ana Brito e Cunha e Sílvia Rizzo, que dão vida às personagens nesta comédia portuguesa. Também a obra de Liliana Gonçalves e Francisco Neves, TURP será outro destaque desta selecção. Uma curta-metragem selecionada para o “Short Film Catalog“, Festival Corner em Cannes e que conta no elenco com o bem conhecido actor José Fidalgo.

A Selecção Caminhos Mundiais, secção não competitiva do festival foi concebida com o apoio da Academia do Cinema Catalã (Catalan Film Academy), que todos os anos comemora os Prémios Gaudí, distinguindo os melhores filmes catalães do ano.

A maioria destes filmes foi premiada ou esteve nomeada para estes prémios, inclusivamente para os prémios Goya, e percorreu alguns festivais. Existe ainda um positivo equilíbrio entre cineastas masculinos (5) e femininos (5), bem como uma oferta heterogénea de géneros, tons e temas.

A captação de um público jovem para o cinema português é fundamental, pelo que a selecção Caminhos Juniores pretendem manter um espaço reservado à participação das escolas no festival.

Apresenta-se como um serviço educativo, tendo por base que apenas a experimentação in loco de muitos minutos de pura magia para estas crianças tornará possível a criação de hábitos de consumo desde a infância no que diz respeito ao cinema português.

O festival apresenta a secção paralela Caminhos Séniores, uma iniciativa que constitui uma mais-valia para o festival que, para além de uma componente cultural, também tem um papel importante de cariz social e de integração na sociedade.

Pretende estimular o diálogo dos espectadores desta secção com uma sensibilidade diferente à própria arte decorrente das diferentes experiências e vivências de vida e proporcionar aos participantes, na sua grande maioria com dificuldades de locomoção, uma tarde de animação e lazer.

Na edição deste ano, foi selecionada a longa-metragem documental Irmãos de Pedro Magano, vencedora do grande prémio do festival, “Portugal Sou Eu” e Melhor Montagem, para Ricardo Teixeira, na última edição do festival, uma sessão que decorrerá no Teatro José Lucio Silva, em Leiria, no dia 23 de Novembro às 14h30.
E para quem tem dificuldades em acompanhar todos os filmes, haverá reposições de alguns títulos mais interessantes na óptica da organização, de ambas as secções competitivas (Selecção Caminhos e Ensaios), que serão exibidos nos Cinemas NOS do Alma Shopping.

A equipa do júri oficial é composta por caras bem conhecidas do grande público, e abrangem áreas como a música, a literatura e claro está, o cinema. 

Assim, a edição deste ano conta com o maestro António Vitorino de Almeida, o escritor João Tordo, o crítico/blogger Paulo Peralta, a actriz Teresa Tavares, o actor Luís Gaspar, a actriz Rita Salema e a realizadora Margarida Leitão, para avaliar a principal secção competitiva do festival, a Selecção Caminhos, onde concorrem as principais obras produzidas em Portugal e responsável por atribuir o Grande Prémio do Festival, Melhor Longa e Curta- Metragem, Melhor Animação, Melhor Documentário e Prémio Revelação, bem como todas as categorias técnicas avaliadas nesta Secção Competitiva.

Para mais informações, consulte o site e a página de facebook do festival:

http://caminhos.info/ | https://www.facebook.com/caminhoscinema/

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade