Conecte-se connosco

Crimes

PSP de Coimbra fechou três discotecas e um bar este verão (com vídeo)

Publicado

em

A PSP deteve na última semana um segurança por suspeita de tráfico de estupefacientes e um funcionário por ter na sua posse uma arma proibida, na discoteca Mandarim, no centro de Coimbra. O estabelecimento, que tem sido palco de cenas de pancadaria, continua sob investigação e, “numa situação limite”, pode vir a ser encerrado. Só no último verão, entre Coimbra e Figueira da Foz, foram fechadas três discotecas e um bar. 

Na madrugada de sexta-feira, dia 30 de setembro, a discoteca Mandarim, na Praça da República, em Coimbra, estava em pleno funcionamento quando uma rusga da PSP chegou para passar o espaço a pente fino. “Tratou-se de uma operação especial de prevenção criminal, direcionada para a violência naquela zona”, disse ao Notícias de Coimbra o subintendente José Nascimento, comandante da divisão policial da PSP de Coimbra. Mas a ação, que envolveu mais de 50 agentes, foi mais do que um ato de rotina.

O Mandarim é um “estabelecimento que reiteradamente tem sido palco de situações de ofensas à integridade física, inclusivamente com forte mediatização através de fotos e vídeos nas redes sociais” e, por isso, estava já sob investigação. “Já existiam algumas investigações a decorrer, em que um dos suspeitos [agora detido] era indiciado. Em cooperação com a autoridade judiciária, foi dado cumprimento a diversos mandados de busca não domiciliária”, revelou o comissário João Martelo, comandante da esquadra de investigação criminal da PSP de Coimbra, ao NDC. O responsável confirmou ainda que “existem outras investigações a decorrer”, assim como “algumas denúncias de agressões”, relacionadas com a mesma discoteca.

Um dos detidos, um homem de 28 anos, identificado como segurança privado, tinha na sua posse cocaína, haxixe e liamba, assim como diversos objetos caraterísticos da atividade de tráfico e dinheiro alegadamente associado ao negócio ilícito. Foi presente a autoridade judicial e ficou sujeito a apresentações periódicas às autoridade e proibição de contatos com indivíduos conotados com o tráfico.

O outro suspeito, tinha uma soqueira, considerada arma proibida, e foi notificado para se apresentar em tribunal esta segunda-feira.

Questionados pelo NDC se a repetição de cenas de violência poderá levar ao encerramento da discoteca, João Martelo e José Nascimento explicam que numa “situação limite pode acontecer”, mas o encerramento terá de ser determinado, através da autoridade administrativa, neste caso a Câmara Municipal, ou do Ministério da Administração Interna.

No último verão, a PSP de Coimbra encerrou coercivamente o bar Kamartelo, na rua Padre António Vieira, por queixas relacionadas com o ruído. O estabelecimento reabriu em novas instalações na avenida Sá da Bandeira. As discotecas NB e Bergantim, na Figueira da Foz, assim como a Mandarim, em Coimbra, foram também encerradas, provisoriamente, por não estarem a cumprir as medidas de segurança obrigatórias no que respeita à gravação de imagens de videovigilância. Todas foram reabertas após tomarem medidas.

Numa altura em que está prestes a arrancar mais uma Festa das Latas, o NDC quis saber que tipo de ações a PSP vai desenvolver para prevenir a criminalidade. “As festas académicas são uma preocupação de todos nós. Somos muito provavelmente o maior parceiro na organização das festas da Associação Académica de Coimbra que tem dirigentes muitos jovens, com cada vez mais responsabilidades, e que também estamos a ajudar. Também a Câmara Municipal e outros agentes de proteção civil são parceiros. Iniciaremos os policiamentos e as ações de prevenção e sensibilização a seu tempo”, referiu José Nascimento.

Veja o direto NDC sobre as detenções na discoteca Mandarim:

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com