Conecte-se connosco

Política

PSD exige a Marta Temido posição sobre AstraZeneca e relatório mensal

Publicado

em

O grupo parlamentar social-democrata questionou hoje a ministra da Saúde sobre o posicionamento de Portugal em relação à vacina anti-covid-19 da farmacêutica AstraZeneca, exigindo um relatório mensal sobre reações adversas às inoculações com as várias vacinas no parlamento.

As autoridades de saúde norueguesas anunciaram hoje a suspensão, “como medida preventiva”, da vacinação com o produto da AstraZeneca, algo que já aconteceu também na Áustria, Estónia, Lituânia, Letónia, Luxemburgo e Dinamarca.

Em requerimento, os deputados do PSD pedem que “os portugueses sejam informados sobre existência de qualquer caso semelhante em Portugal, se existe alguma diretriz internacional da Agência Europeia do Medicamento ou da Organização Mundial da Saúde sobre este tema” e questionam Marta Temido sobre “qual vai ser o posicionamento de Portugal perante esta suspensão, a que vários países têm vindo a aderir nas últimas horas”.

O PSD solicitou ainda que seja remetido “à Comissão Eventual para o Acompanhamento da Aplicação das Medidas de Resposta à Pandemia da Doença Covid-19”, um documento de balanço mensal “com o registo das reações adversas às diversas vacinas registadas no Portal de Notificação de Reações Adversas (RAM) do Infarmed (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde)”.

Na quarta-feira, a Direção-Geral da Saúde (DGS) alargou a vacina da AstraZeneca às pessoas acima dos 65 anos, depois de comprovada a eficácia neste grupo etário.

Na norma relativa à vacina da AstraZeneca, de forma a permitir a sua utilização sem reservas a partir dos 18 anos, a DGS sublinha que tal decisão se deve à segurança, qualidade e eficácia comprovadas.

“Esta decisão tem suporte na divulgação de dados conhecidos nos últimos dias, que indicam que a vacina da AstraZeneca é eficaz em pessoas com mais de 65 anos”, escreve a DGS.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade