Conecte-se connosco

Autárquicas

PS perde quatro municípios mas mantém maioria das 17 câmaras de Coimbra

Publicado

em

O PS, que liderava 12 das 17 Câmaras do distrito de Coimbra, perdeu quatro municípios e ganhou um, mantendo a maioria das autarquias, seguido do PSD, que passa de cinco para sete.

Depois de o PS ter conquistado 12 presidências no distrito em 2017, tal como em 2013, os socialistas perdem agora quatro municípios, incluindo as duas maiores cidades, Coimbra, para a coligação PSD/CDS-PP/Nós, Cidadãos!/PPM/Volt/RIR /Aliança, e Figueira da Foz, para o movimento independente “Figueira a Primeira”, encabeçado por Pedro Santana Lopes.

No entanto, os socialistas alcançaram um resultado histórico em Penela, que foi sempre do PSD desde as primeiras eleições autárquicas, em 1976, com a vitória de Eduardo Santos para a presidência do município.

Em Coimbra, a coligação Juntos Somos Coimbra, encabeçada por José Manuel Silva, alcançou maioria absoluta com 43,92% dos votos e seis mandatos conquistados, derrotando o presidente da Câmara e presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Manuel Machado, que se recandidatava pelo PS a um terceiro mandato.

O PS conquistou 32,65% dos votos e quatro mandatos e a CDU foi a terceira força eleita, conseguindo eleger um vereador.

Das outras três cidades do distrito, os socialistas apenas lideram em Oliveira do Hospital, onde o presidente de Câmara cessante, eleito pelo PS, atingiu o limite de mandatos.

O PSD manteve a liderança em Cantanhede (que os socialistas só conquistaram por uma vez, em 1993), e o movimento encabeçado por Santana Lopes conquistou a Figueira da Foz, que era do PS desde 2009.

Os socialistas perderam ainda Penacova para o PSD, que candidatou o ex-jornalista da RTP Álvaro Coimbra, e Góis também para os sociais-democratas, que só tinham conquistado aquela autarquia do interior do distrito por uma vez, em 1979.

O PS mantém a liderança de Condeixa-a-Nova, Lousã, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Soure e Vila Nova de Poiares, concelhos onde foram reeleitos, pelo PS, os respetivos presidentes.

Já em Tábua, onde o atual presidente da Câmara, Mário Loureiro, tinha decido não se recandidatar, o PS voltou a ganhar, com uma candidatura encabeçada pelo vice-presidente, Ricardo Cruz.

O PSD manteve também Arganil e Mira, onde foram reeleitos os respeitos presidentes, assim como Pampilhosa da Serra, onde o atual presidente da Câmara, José Brito, não se recandidatou por limite de mandatos.

Nestas autárquicas, havia dez presidentes de Câmara no distrito que se recandidatavam ao cargo, sendo que apenas Manuel Machado, em Coimbra, não conseguiu a reeleição.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade