Conecte-se connosco

Proteção Civil diz que combate às chamas continua favorável

Publicado

em

O comandante operacional da Proteção Civil, Elísio Oliveira, disse hoje, no balanço efetuado às 11:50, que a situação se mantém favorável nos incêndios que abrangem os distritos de Leiria, Castelo Branco e Coimbra.

Falando aos jornalistas pouco depois das 10:00, no primeiro balanço do dia sobre os fogos florestais que lavram nos três distritos, o comandante afirmou que o combate às chamas está a decorrer de forma favorável, tendo agora apontado que a situação se mantém idêntica.

Neste momento, a Estrada Nacional 236, entre Castanheira de Pera e Lousã, está cortada ao trânsito.

Elísio Oliveira referiu, também, que continuam as dificuldades de operação dos meios aéreos, devido à falta de visibilidade e que, neste momento, os trabalhos são apenas feitos pelos meios terrestres e máquinas de rasto.

Quanto ao número de vítimas, mantém-se o registo de 62 mortos e 62 feridos.

De acordo com a página da internet da Autoridade Nacional da Proteção Civil, consultada pelas 12:15, o fogo em Pedrógão Grande está a ser combatido por 1045 operacionais, 327 viaturas e oito meios aéreos.

“A situação mantém aquilo que falámos esta manhã. O combate desenvolve-se favoravelmente. Neste momento, em termos de condicionamento, temos a nacional 236 entre Castanheira e Lousã cortada. Todas as outras estradas consideradas itinerários principais estão circuláveis”, afirmou Elísio Oliveira.

O comandante operacional da Proteção Civil que falava aos jornalistas no segundo balanço do dia em relação aos fogos florestais que lavram nos distritos de Coimbra, Leiria e Castelo Branco, adiantou que continuam as dificuldades de operação dos meios aéreos por falta de visibilidade.

“Em todo este incêndio considerando os três distritos envolvidos, todos os concelhos envolvidos e freguesias (…) mantêm-se as operações de combate e, portanto, se as condições se mantiverem, continuamos com dificuldades dos meios aéreos disponíveis para entrarem”, afirmou.

Quanto ao número de vítimas mortais e de feridos, disse que estes se mantêm inalteráveis: “Os números neste momento mantêm-se em termos de perdas de vidas humanas e feridos”.

Elísio Oliveira sublinhou, ainda, que continuam a contar com o trabalho que está a ser feito através dos meios terrestres e de máquinas de rasto.

“Este é um grande incêndio com grandes fogos no meio. Há muitas e diversas linhas de fogo que tem que ser controladas (…). É um cenário muito difícil e uma área de atuação muito complexa. Precisamos de tempo para em segurança, continuar o nosso trabalho” frisou.

Relativamente à nacionalidade das vítimas, Elísio Oliveira disse que esse é um trabalho que será feito à posteriori.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade