Conecte-se connosco

Coimbra

Proteção Civil de Coimbra aconselha municípios a cancelarem festas de Passagem de Ano

Publicado

em

A Comissão Distrital de Proteção Civil (CDPC) de Coimbra reuniu com a finalidade de avaliar a evolução da situação provocada pela Covid-19 e os comissários decidiram por unanimidade aconselhar os municípios a evitar eventos de grande dimensão, como são as festas de Passagem de Ano. 

A CDPC recomendou “algumas medidas para a minimização do perigo de contágio e reforçar a cooperação institucional e operacional entre todos aqueles que, nos
vários domínios, participam na resposta à pandemia”, após a reunião realizada ao final do dia desta terça-feira no auditório Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIMRC).

O encontrou contou com os comissários da CDPC, com presidentes de câmara da CIM ou seus representantes e elementos do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e do Hospital Distrital da Figueira da Foz.

“Os responsáveis do setor da saúde informaram a CDPC que a situação se agravou nos últimos tempos, devido, sobretudo, ao incremento do número de
contágios registados na faixa etária dos 0-9 anos, embora sem consequências na gravidade da doença, uma vez que a severidade é ligeira neste grupo”, refere um comunicado da Comissão enviado ao Notícias de Coimbra. Foi também realçada “a importância da vacinação na redução da forma grave da doença, dado que a quase totalidade de internados em cuidados intensivos se verifica em indivíduos não vacinados”.

Nesse sentido e “por unanimidade dos comissários, foi aprovada uma recomendação aos municípios para que se evitem eventos de grande dimensão, como por exemplo a Passagem de Ano, tendo sido esta proposta considerada como uma medida muito positiva na defesa da saúde pública”, lê-se no documento.

A nota faz ainda referência à “relativa tranquilidade que se verifica nas infraestruturas de respostas sociais, designadamente em Estruturas Residências para Pessoas
Idosas e em Lares Residências, podendo inferir-se da eficácia do reforço da vacinação (3ª dose) na redução do risco”.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade