Conecte-se connosco

Sindicatos

Professores precisam-se! Desvalorização da profissão afasta jovens do ensino (com vídeos)

Publicado

em

A falta de professores marca o início do ano letivo. Para Mário Nogueira, secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof), “há muitos outros problemas por resolver” no ensino mas esse é aquele que “mais preocupações levanta” e que impera solucionar rapidamente.

Mário Nogueira fez, esta terça feira, em Coimbra, junto à Escola Secundária Quinta das Fores, uma análise às dificuldades e desafios que se levantam à profissão. Sublinhou que “a falta de professores é um problema que está aí, de que toda a gente fala”, um problema que “o ministro da Educação procura atenuar dizendo que existem medidas avulsas e que poderão dar resposta ao problema” mas que, no seu entender, “não dão”.

O secretário-geral da Fenprof frisou que o problema da falta de professores “não é simples”, já que é “conjuntural e estrutural”, resultando de muitos anos de “políticas incompetentes e imprevidentes, porque não preveniram o futuro”.

No seu entender, esta situação só pode ser alterada tornando a profissão de professor mais atrativa e valorizada. “Não há jovem nenhum que queira ir para professor se souber que quando acabar o seu curso aos 21/22 anos vai estar quase até aos 50 para entrar num quadro e numa carreira”, sublinhou.

Para além da pouca atratividade da profissão, Mário Nogueira lembrou que há também muitos professores que acabam por trocar a profissão por outra que lhes assegure maior estabilidade profissional e pessoal. Recordou ainda que a questão da falta de professores é agravada com as reformas, já que todos os anos há centenas de profissionais que se aposentam.

Veja os vídeos dos diretos NDC:

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com