Educação

Professores com cartazes vermelhos exigem “respeito” no Dia de Portugal

Notícias de Coimbra com Lusa | 11 meses atrás em 10-06-2023

Professores marcaram hoje presença nas comemorações do Dia de Portugal, no Peso da Régua, empunhando cartazes onde pedem “respeito” e para reafirmarem que a luta continua.

PUBLICIDADE

“Estamos aqui a demonstrar que continuamos na luta este ano e no início do próximo ano letivo”, afirmou aos jornalistas Francisco Gonçalves, secretário-geral adjunto da Federação Nacional de Professores (Fenprof).

Os docentes espalharam-se entre os populares que se juntaram para assistir às cerimónias oficiais militares do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas que, este ano, decorrem na cidade da Régua, distrito de Vila Real.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Os docentes traziam nas mãos pequenos cartazes vermelhos onde se podia ler a mensagem “Respeito, precariedade não! – Carreira recomposta, salários atualizados – horários legais – aposentação justa!”, enquanto uma docente de Vila Real carregava um grande cravo vermelho e verde.

PUBLICIDADE

Francisco Gonçalves apontou para uma participação de cerca de 200 professores, entre dirigentes sindicais e docentes da região Norte, garantindo um protesto “ordeiro” e “respeitoso”, cumprindo “as regras do dia 10 de Junho”.

“Aliás, nós somos professores, exigimos respeito e, naturalmente, se exigimos respeito temos naturalmente que primeiro dar o exemplo”, salientou.

Mas, acrescentou, que os docentes não podiam perder a oportunidade de alertar para as suas exigências e exigir a resolução dos problemas.

Os professores estão a realizar há vários meses greves e manifestações com reivindicações relacionadas com a carreira, designadamente a contagem do tempo de progressão congelado – seis anos, seis meses e 23 dias – sendo que a última aconteceu na terça-feira.

“Aquilo que até ao momento foi apresentado é manifestamente insuficiente e é isso que nós aqui queremos mostrar”, frisou.

Francisco Gonçalves apontou ainda para o “fenómeno da falta de professores que está em crescendo e que resulta da desvalorização da carreira e da profissão”.

O protesto de hoje foi promovido pela plataforma de nove organizações e professores como a Associação Sindical de Professores Licenciados (ASPL), Federação Nacional dos Professores (Fenprof), Federação Nacional da Educação (FNE), Pró-Ordem dos Professores (Pró-Ordem), Sindicato dos Educadores e Professores Licenciados (Sepleu), Sindicato Nacional dos Profissionais de Educação (Sinape), Sindicato Nacional e Democrático dos Professores (Sindep), Sindicato Independente dos Professores e Educadores (SIPE) e Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades (Spliu).

As comemorações do Dia de Portugal, de Camões das Comunidades Portuguesas terminam hoje no Peso da Régua com a tradicional cerimónia militar do 10 de Junho, depois de terem passado pela África do Sul.

Na cerimónia militar, que decorre na avenida do Douro, estão presentes o Presidente da República, o primeiro-ministro, o presidente da Assembleia da República e líderes de partidos, entre os quais o presidente do PSD, Luís Montenegro.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE